Ordem dos Frades Menores Conventuais - Custódia Provincial Imaculada Conceição - Franciscanos Conventuais do Rio de Janeiro - PAZ & BEM!!!

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Reflexão: A data do nascimento de Jesus

Por: Pe. José Eduardo de Oliveira*

Como fazemos para tabelecer o dia do nascimento de Jesus? A contagem dos dias começa pelo anúncio do nascimento de São João Batista. A Bíblia diz:

“Nos tempos de Herodes, rei da Judéia, houve um sacerdote por nome Zacarias, da classe de ABIAS; sua mulher, descendente de Aarão, chamava-se Isabel. Ora, exercendo Zacarias diante de Deus as funções de sacerdote, NA ORDEM DA SUA CLASSE, coube-lhe por sorte, segundo o costume em uso entre os sacerdotes, entrar no santuário do Senhor e aí oferecer o perfume” (Lc 1,5.8-9).

Pois bem, mas quando era o turno da classe de Abias?

No Primeiro Livro de Crônicas (1Cr 24,1-7.19), está estabelecida a ordem das 24 classes sacerdotais. Cada uma das classes deveria servir duas vezes ao ano, por uma semana, de sábado a sábado. A ordem sorteada e imutável foi a seguinte:

1a.) Joiarib, 2a.) Jedei, 3a.) Harim, 4a.) Seorim, 5a.) Melquia, 6a.) Maimã, 7a.) Acos, 8a.) ABIAS, 9a.) Jesua, 10o.) Sequenia, 11a.) Eliasib, 12a.) Jacim, 13a.) Hofa, 14a.) Isbaab, 15a.) Belga, 16a.) Emer, 17a.) Hezir, 18a.) Afses, 19a.) Fetéia, 20a.) Ezequiel, 21a.) Jaquim, 22a.) Gamul, 23a.) Dalaiau, 24a.) Maziau.

Alguns irmãos se apegam a esta ordem, alegando que não corresponde a uma possibilidade de que o Natal fosse em dezembro, pois o ano religioso judaico, começando por volta de março, daria ao oitavo turno, provavelmente, o final do mês de junho, começo do mês de julho. Daí, fazendo os cálculos, Jesus teria nascido em finais de setembro, inícios de outubro, pela festa dos Tabernáculos.

CONTUDO, ninguém se pergunta se a ordem dos turnos, nos tempos de Cristo, estava estabelecida exatamente assim. A pergunta é razoável, pois, desde os tempos da construção do Templo, o culto já havia sido interrompido diversas vezes, e um descompasso entre os turnos e o calendário poderia ter-se dado. E, por incrível que pareça, foi isso mesmo que aconteceu! É o que constatou Annie Jaubert, uma especialista francesa.

Por outro lado, o especialista Shemarjahu Talmon, da Universidade Hebraica de Jerusalém, trabalhou sobre os escritos de Qumram e sobre o calendário do Livro dos Jubileus, e CONSEGUIU PRECISAR A ORDEM SEMANAL DOS 24 TURNOS. Na lista que o Prof. Talmon reconstruiu, O SEGUNDO TURNO DE ABIAS CORRESPONDIA AOS DIAS DE 24 A 30 DE SETEMBRO.

Portanto, quando São Lucas recolhe essa indicação, sendo ele um atencioso narrador da história, nos dá a possibilidade de reconstruir a data histórica do nascimento de Jesus.

AGORA, RESTA-NOS FAZER AS CONTAS.
O anúncio do nascimento de São João Batista seria no dia 24 de setembro (no calendário ortodoxo, esta festa se celebra no dia 23 de setembro). NOTE-SE QUE ESTA FESTA É MUITO ANTIGA NA TRADIÇÃO DA IGREJA ORIENTAL;
seis meses depois, seria o anúncio a Nossa Senhora, no dia 25 de março (festa litúrgica da ANUNCIAÇÃO);
três meses depois, o nascimento de São João Batista (dia 24 de junho, festa litúrgica do seu natal);
e seis meses depois, 25 de dezembro, o nascimento de Jesus (Solenidade do Natal do Senhor).

Portanto, essas teorias de que o Natal surgiu para cristianizar a festa pagã do “SOL INVICTO”, do solstício de verão etc., não passam de banais conjecturas.
A DATA DO NATAL, O INVERNO E OS PASTORES

Algumas pessoas argumentam que Jesus não poderia ter nascido em 25 de dezembro por um motivo simples: no hemisfério norte, sendo inverno, os pastores não poderiam estar com suas ovelhas ao relento.

Contudo, o argumento é falso, e carece de conhecimento bíblico e histórico.

Segundo o Talmud -- que recolhe as tradições orais das explicações rabínicas da Torah --, as ovelhas eram divididas em três categorias, de acordo com a sua "pureza" ou "ausência de defeitos": 1) sem mancha (por isso, São Pedro chama Jesus de "Cordeiro sem mancha, nem defeito algum", 1Pd 1,19); 2) com algumas manchas; 3) totalmente manchadas ou até mesmo negras.

Somente as primeiras poderiam entrar na cidade. As segundas poderiam viver nos muros. E as terceiras deveriam estar rigorosamente fora, NOS CAMPOS.

Assim, quando o Evangelho afirma que os pastores estavam nos campos não significa que as ovelhas estavam pastando ou tinham acabado de pastar, mas que eram manchadas ou defeituosas e, portanto, não poderiam entrar na cidade. Os pastores precisavam viver, também, nos campos, junto com as ovelhas, e guardá-las em seu redil. Os leitores imediatos de Lucas sabiam disso!

Contudo, vale a pena ler uma tradução literal do texto grego de Lc 2,8, para entendermos melhor o que está escrito. Aí vai, primeiro o texto grego; depois, a tradução palavra por palavra:
"Καὶ ποιμένες ἦσαν ἐν τῇ χώρᾳ τῇ αὐτῇ ἀγραυλοῦντες καὶ φυλάσσοντες φυλακὰς τῆς νυκτὸς ἐπὶ τὴν ποίμνην αὐτῶν".
"E pastores estavam em a região aquela vivendo no campo e guardando vigílias da noite sobre o rebanho deles".

Em outras palavras, os pastores viviam no campo (porque as ovelhas seriam impuras ou defeituosas) e, na ocasião, precisavam revezar durante a noite sobre o rebanho, que devia ser guardado em redis como cabanas ou em alguma encosta... MAS, POR QUE PRECISAVAM REVEZAR?

PORQUE ESTAVA MUITO FRIO!!! E, assim, tinham que fazer turnos nas vigílias da noite, afim de protegerem o rebanho.

PORTANTO, o argumento é exatamente o contrário do que querem os divergentes: o texto é uma prova de que o Messias nasceu em tempos de inverno, e comprova a tese, também bíblica e de São Lucas, que Jesus nasceu em 25 de dezembro!

Fonte da pesquisa:
TIGHE. William J. Calculating Christmas. Site Touchstone
LATTIER, Daniel. The Myth of the Pagan Origins of Christmas. Site Intellectual Takeout
JAUBERT, Annie. Le calendrier des Jubilées et de la secte de Qumran. Ses origines bibliques, in Vetus Testamentum”. Suppl. 3 (1953) pp. 250-264.
JAUBERT, Annie. Calendario di Qumran, in Enciclopedia della Bibbia 2. (1969) pp. 35- 38.
JAUBERT, Annie. La date de la Cène,Calendrier biblique et liturgie chrétienne, Études Bibliques, Paris 1957.
TALMON, Shemarjahu. The Calendar Reckoning of the Sect from the Judean Desert. Aspects of the Dead Sea Scrolls, in Scripta Hierosolymitana. vol. IV, Jerusalém 1958, pp. 162-199.
FEDERICI. Tommaso. “25 dicembre, una data storica”. artigo da Revista “30 giorni”. 11/2000.
*sacerdote da Diocese de Osasco e Doutor em Teologia Moral pela Pontifícia Universidade da Santa Cruz (Roma).

Nenhum comentário:

Os Mais Vistos