Ordem dos Frades Menores Conventuais - Custódia Provincial Imaculada Conceição dos Franciscanos Conventuais do Rio de Janeiro - PAZ & BEM!!!

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

O CARISMA FRANCISCANO

São Francisco de Assis fala da vida em termos de conversão: "O Senhor concedeu a mim Frei Francisco, iniciar assim uma vida de penitência". Como o jovem do Evangelho, ele também, num determinado momento de sua vida, constata em si mesmo uma inquietude que supera as exigências de um empenho batismal e o impele a unir-se a Cristo, seguindo a vida e o exemplo dos Apóstolos.
A tomada de consciência da vocação divina inicia para São Francisco em 1205 durante uma doença. Ao sonho do castelo e das armas segue-se a visão de Espoleto onde uma voz lhe pergunta quem lhe pode ser mais útil o servo ou o Senhor. Francisco responde: "O Senhor". E a voz: "Por que procuras o servo em lugar do Senhor?"  E Francisco: "Senhor, que queres que eu faça?" E o Senhor a ele: "Volta à tua terra natal porque por minha graça se completará espiritualmente a tua visão."
Dócil à voz do Senhor, São Francisco deixa-se guiar por sua palavra por meio do qual Deus de tempos em tempos lhe revela o projeto que tem com ele e a obra para o qual o chamou.
Já estava inteiramente metamorfoseado de coração e próximo de mudar-se também no corpo, quando o dia passou pelos arredores da Igreja de São Damião. Levado pelo Espírito Santo, entra para rezar. Chamando-o pelo nome, a imagem do crucifixo lhe fala e lhe confia uma missão: "Francisco, vai e repara a minha Casa que como vê está em toda em ruínas!" Mais tarde o Espírito Santo lhe ensinara que as palavras divinas referiam-se principalmente à Igreja que Cristo adquiriu com o seu próprio sangue.

A vocação de Francisco somente se clareia depois de ter ouvido o trecho evangélico do envio Apostólico. Naquela via, auxiliado pelo sacerdote, ele compreende, que o Senhor a exemplo dos Apóstolos, o envia a pregar o Reino de Deus e a penitência. Sua reação ao impacto evangélico foi imediata: "É isto que eu quero, é isto que eu procuro, é isto que eu desejo fazer de todo o coração!" Sem nenhuma perda de tempo, tira o calçado dos pés, deixa de lado o bordão, e, contente com sua túnica, substitui a correia por uma corda e começa a pregar a todos a penitência. Em todas as suas pregações desejava a paz dizendo: "O Senhor vos dê a Paz!" 
Francisco guardará sempre aquela passagem evangélica que exerceu uma influência decisiva sobre a sua vida e de sua ordem, como uma explícita revelação divina. Já próximo da morte, pede aos frades que o levassem depressa para a Porciúncula, onde queria entregar a alma a Deus: "naquele lugar onde ... pela primeira vez concebera com perfeição o caminho da verdade." Princípio e fim da vocação de São Francisco se fundam numa única visão. Escreve Celano que, por divina disposição, aquela santa alma voou para o Reino dos céus precisamente naquele lugar em que recebera a primeira revelação da verdade sobrenatural, e compreensão ao chamado de Deus.

Assumindo sua missão apostólica, São Francisco com palavra profética se define: "Arauto do grande Rei", servidor dos leprosos, restaurador de Igrejas, torna-se o Apóstolo de Cristo, ministro fiel e autêntico do Evangelho e evangelizador do mundo inteiro.

Que São Francisco de Assis possa interceder a Deus por todos aqueles que, como ele, desejam seguir as pegadas de Nosso Senhor Jesus Cristo pelo caminho da minoridade. São Francisco de Assis, rogai por nós!

Texto da Equipe Vocacional OFMConv (Site: www.despertarfranciscano.com)

Nenhum comentário:

Os Mais Vistos