Ordem dos Frades Menores Conventuais - Custódia Provincial Imaculada Conceição dos Franciscanos Conventuais do Rio de Janeiro - PAZ & BEM!!!

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Inquietação do coração conduz a Deus e ao próximo


Cidade do Vaticano (RV) – Papa Francisco saiu do Vaticano na tarde desta quarta-feira, 28, e foi ao centro de Roma para presidir a missa de abertura do Capítulo Geral da Ordem dos Agostinianos.

A visita do Papa à Basílica de Santo Agostinho atraiu centenas de pessoas e a área ficou completamente tomada por romanos e turistas que aguardaram horas pela chegada do veículo utilitário de Francisco.


O Papa desceu do carro com sua própria mitra na mão, o que chamou a atenção dos fotógrafos e foi bastante destacado pela imprensa. Mais um gesto ‘normal’ do Pontífice. Antes de entrar na basílica, se deteve na rua cumprimentando as pessoas.

“A inquietação do coração conduz a Deus e ao amor”: foi a mensagem central de sua homilia, proferida diante de frades dos cinco continentes, religiosas e consagrados que seguem a regra do bispo de Hipona, e alguns leigos.

O Papa convidou a assembleia a deixar-se levar por esta inquietação pessoal para conhecer Cristo e pelas necessidades dos próximos para responder a seu amor. Salientando o percurso pessoal de Santo Agostinho, Francisco exortou a refletir sobre a inquietação em três aspectos: “a busca espiritual, a inquietude do encontro com Deus e a inquietude do amor”.

“O tesouro de Agostinho é justamente o seu comportamento de não ‘privatizar’ o amor, mas estar ‘sempre em caminho, e sempre inquieto’. Podemos nos questionar: eu vibro por Deus, para anunciá-lo, para apresentá-lo? Ou me deixo fascinar pela mundanidade espiritual que me leva a fazer tudo por amor de mim mesmo? Nós, consagrados, pensamos em interesses pessoais, no bom funcionamento de nossas obras, em nossas carreiras...”.

“Por acaso me acomodei na minha vida cristã, de sacerdote, na minha vida na comunidade, ou ainda mantenho a força da trepidação por Deus e por sua Palavra, que me leva a ‘sair’ de mim mesmo e ir em direção dos outros?”.

Prosseguindo, Francisco disse “sentir pena” quando pensa nos consagrados não-fecundos, “solteirões” que não têm vibração espiritual para anunciar o Senhor com coragem e ir ao encontro de todo irmão ou irmã; e terminou citando como exemplo a “fecundidade” pastoral de Santo Agostinho, o “inquieto”.
(CM)

Fonte: http://pt.radiovaticana.va/news/2013/08/29/francisco:
_inquietação_do_coração_conduz_a_deus_e_ao_próximo_/bra-723702

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Visita Canônica Geral no Rio de Janeiro

Frei Jorge e o Definitório Custodial
De 5 a 20 de agosto de 2013, Frei Jorge Fernandez, Assistente Geral FALC, aconteceu a Visita Canônica Geral à Custódia da Imaculada Conceição do Rio de Janeiro, em preparação para o próximo capítulo  custodial ordinário.
Vocacionados


No domingo, 18 de agosto, dedicado à vida religiosa no Brasil, no Rio Comprido, Frei Jorge teve uma reunião com um grupo de onze jovens no processo de discernimento vocacional.



Foram visitadas todas as comunidades da Custódia: Rio Comprido, Araruama, Costa Barros, Bananeiras, Juiz de Fora, Petrópolis e Paraíba do Sul. Frei Jorge conversou pessoalmente com cada Frade  e em reuniões comunitárias realizadas , quando possível, encontrou e cumprimentou  alguns grupos de leigos .
Encontro com as Clarisas e visitantes de Araruama

Grupo missionário italiano em Araruama
Finalmente, concluindo a visita, o Assistente Geral se reuniu com o Definitório da Custódia para juntos fazerem uma síntese da Visita Canônica e dar alguns passos preparatórios em direção ao  Capítulo de outubro de 2013
Peçamos a Nossa Senhora Aparecida para interceder por nossos irmãos que são peregrinos na bela terra do Rio e seus arredores.

Frei Jorge Fernandez, OFMConv
Assistente Geral FALC

Fonte:http://www.ofmconv.net/index.php?option=com_content&view=article&id=1156&catid=20&Itemid=305&lang=es

sábado, 24 de agosto de 2013

Indulgência da Porciúncula


Por Frei Dorvalino Fassini, OFM*


“Indulgência da Porciúncula”, fora um privilégio que Francisco adquirira para a igrejinha da Porciúncula, situada perto de Assis, e que, posteriormente, o mesmo privilégio fora estendido a todas as igrejas próprias da Ordem.
Mas, o que era ou o que é essa Indulgência, nunca ficou muito claro para mim. Há dias, porém, folheando a nova edição italiana das “Fonti Francescane”, encontrei, pela primeira vez, o famoso documento acerca desse Privilégio. Trata-se do “Diploma do Bispo Teobaldo de Assis”, datado de 1310 e cuja tradução oferecemos aos interessados. Antes do texto propriamente dito, porém, é importante que se leia a pequena introdução historiográfica dos editores das mencionadas “Fonti Francescane”.
“A Indulgência da Porciúcula, evento de suma importância para a história e consciência da Ordem minorítica, e objeto de longas discussões historiográficas acerca de sua autenticidade histórica, encontra sua documentação mais objetiva no Bispo Teobaldo de Assis. Este Bispo recolheu e sintetizou os testemunhos anteriores, tidos historicamente como fundados, particularmente, aqueles de Benedito e Rainério d´Arezzo, de Tiago de Coppoli e de Pedro Zalfani, sem extrapolar a medida da narrativa com excessivos elementos miraculosos. Estes testemunhos nos evocam uma significativa fonte documentária, hagiográfica, e, na esteira do jubileu do milênio de 1300, no tempo de Bonifácio VIII (1294-1303), rica em aspectos pastorais, fundada, de um lado sobre a fidelidade à intuição de Francisco e, de outra parte, sobre a evolução institucional da Ordem no seio da Igreja.
Aqui se propõe o texto completo do documento traduzido a partir da recente edição paleográfica feita sob os cuidados de Stefano Brufani a partir do original, onde ainda se conserva pendente o selo de cera; documento esse conservado no arquivo público do Estado de Perúsia, Corporações religiosas supressas, São Francisco ao Prado, pergaminho 56 (1310, agosto, 10), descoberto em 1964 por Roberto Abbondanza. Cf. S. Brufani, Il diploma del vescovo Teobaldo d´Assisi pel indulgenza della Porciuncola, II (2000), pp. 43-136, texto pp. 119-136; veja-se, também, M. Sensi, Il perdono di Assisi, S. Maria degli Angeli-Assisi (PG) 2002”.
Vamos, então, ao texto do mencionado documento ou carta do Bispo Teobaldo:
“Irmão Teobaldo, por graça de Deus, Bispo de Assis, aos fiéis cristãos que lerem esta carta, saúde no Salvador de todos..
Por causa de alguns faladores que, impelidos pela inveja, ou talvez pela ignorância, impugnam desaforadamente a indulgência de Santa Maria dos Anjos, situada perto de Assis, somos obrigados a fazer esta comunicação a todos os fiéis cristãos. Através da presente carta, queremos comunicar o modo e a forma desse benefício e como o bem-aventurado Francisco, enquanto estava vivo, o impetrou ao senhor papa Honório.
Morando, o bem-aventurado Francisco, junto à Santa Maria dos Anjos da Porciúncula, o Senhor, durante a noite, lhe revelou que se dirigisse ao sumo Pontífice, o senhor Honório, que temporariamente se encontrava em Perúsia. A finalidade era impetrar-lhe a indulgência para a mesma igreja de Santa Maria da Porciúncula, há pouco restaurada por ele mesmo. Francisco, levantando-se, de manhã, chamou frei Masseo de Marignano, companheiro seu, com o qual morava, e se apresentou diante do mencionado senhor Honório, e disse:
- Santo Padre, há pouco acabei de restaurar para o senhor uma igreja dedicada à Virgem Mãe de Cristo. Suplico à vossa Santidade que a enriqueçais com uma indulgência, mas, sem a necessidade de nenhuma oferta em dinheiro.
O Papa respondeu-lhe:
- Não convém fazer uma coisa dessas. Pois, quem pede uma indulgência precisa que a mereça dando uma mão. Mas, diz-me para quantos anos você a quer, e quanta indulgência lhe deva conceder.
São Francisco replicou-lhe:
- Santo Padre, sua santidade queira-me dar não anos, mas, almas.
E o senhor Papa respondeu:
- De que modo quer almas?
E o bem-aventurado Francisco declarou:
- Santo Padre, se aprouver à sua santidade, quero que todos quantos se achegarem a essa igreja, confessados e arrependidas e, como convém, absolvidos pelo sacerdote, se tornem libertados da pena e da culpa, no céu e na terra, desde o dia do Batismo até o dia e a hora de sua entrada na mencionada igreja.
O santo Padre acrescentou:
- Isso que pede, Francisco, é muito. E não é costume da Cúria romana conceder semelhante indulgência.
Então, o bem-aventurado Francisco respondeu:
- Senhor, não estou pedindo isto a partir de mim, mas, a partir daquele que me mandou, o Senhor Jesus Cristo.
Diante desse argumento, o senhor Papa concluiu imediatamente, dizendo por três vezes:
- Agrada-me que tenhas essa indulgência.
Os senhores Cardeais presentes, porém, intervieram:
- Vê, se o senhor der essa indulgência, estará destruindo a indulgência do além mar, bem como, virá destruída e considerada nula aquela dos Apóstolos Pedro e Paulo.
O senhor Papa respondeu:
- Agora já a damos e a concedemos; não podemos e nem convém que se destrua o que foi feito. Mas, a modificaremos, de modo que fique limitada apenas para um dia.
Então, chamou São Francisco e disse-lhe:
- Portanto, de hoje em diante, concedemos que, qualquer um que for e entrar na mencionada igreja, bem confessado e contrito, será absolvido da pena e da culpa; e queremos que isso valha todos os anos por somente um dia, das primeiras vésperas até o dia seguinte.
O bem-aventurado Francisco, de cabeça inclinada, começou a retirar-se do palácio. O senhor Papa, então, como o visse saindo, chamou-o dizendo-lhe:
- Ó, simplesinho, aonde vai? Que documento leva desta indulgência?
Respondeu Francisco:
- A mim basta sua palavra. Se for obra de Deus, Deus mesmo deverá manifestá-la. Não quero nenhum outro documento desse privilégio senão este: que a carta seja a bem-aventurada Virgem Maria, o notário Jesus Cristo e os anjos as testemunhas.
Depois disso, Francisco, deixando Perúsia, retornou a Assis. No caminho repousou um pouco, juntamente com seu companheiro, num lugar chamado Colle, onde havia um hospital de leprosos, e lá passou a noite. De manhã, acordado e feita a oração, chamou o companheiro e disse-lhe:
- Frei Masseo, digo-lhe, da parte de Deus, que a indulgência a mim concedida através do sumo pontífice está confirmada pelo céu.
Tudo isso foi contado por frei Marino, sobrinho do mencionado frei Masseo, que frequentemente o ouviu da boca do tio. Esse frei Marino, ultimamente, perto do ano de 1307, repleto de dias e de santidade, repousou no Senhor.
Depois da morte do bem-aventurado Francisco, frei Leão, um dos seus companheiros, homem de vida integralíssima, passou adiante esse fato, assim como o havia recebido da boca de São Francisco; e assim, também, frei Benedito de Arezzo, um dos companheiros de São Francisco, e frei Rainério de Arezzo contaram, tanto para os frades como para os seculares, muitas coisas referentes a essa indulgência, como as tinham ouvido do mencionado frei Masseo. Muitos desses ainda estão vivos e confirmam todas essas notícias.
Não pretendemos, pois, escrever com que solenidade essa indulgência foi tornada pública, durante a consagração da mesma igreja efetuada por sete Bispos. Vamos tão somente referir aquilo que Pedro Zalfani, presente à cerimônia, falou diante do Ministro frei Ângelo, diante de frei Bonifácio, frei Guido, frei Bartolo de Perúsia, e outros frades do lugar da Porciúncula. Contou ele que esteve presente à consagração da mencionada igreja no dia 2 de Agosto, e ouviu o bem-aventurado Francisco que pregava diante daqueles Bispos segurando na mão um documento, e dizia:
- Quero mandar-vos todos para o céu. Anuncio-vos a indulgência que recebi da boca do sumo pontífice: todos vós que hoje vindes e todos aqueles que virão cada ano, neste dia, com um coração bom e contrito, obterão a indulgência de todos os seus pecados.
Fizemos essas considerações acerca da indulgência por causa daqueles que a ignoram. Assim não podem mais usar como desculpa a ignorância. E, acima de tudo, o fazemos por causa dos invejosos e faladores. Estes, em alguns lugares, procuram destruir, suprimir e condenar aquilo que, toda a Itália, a França, a Espanha e outras províncias, tanto de cá como de lá dos montes, ou melhor, o próprio Deus, em reverência à sua santíssima Mãe (pois, como se sabe, a indulgência é dela), quase todos os dias, vem revelando, engrandecendo, glorificando e espalhando com frequentes e manifestos milagres.
Como ousarão invalidar, com suas funestas persuasões, aquilo que já há tanto tempo, diante da Cúria romana, permaneceu com toda sua validade? Pois, também em nosso tempo, o próprio senhor Papa Bonifácio VIII enviou para essa igrejinha seus magníficos embaixadores para que, por sua vez, no dia da indulgência, nos pregassem com toda a solenidade. Às vezes, enviou até Cardeais. Vindos pessoalmente para celebrar a indulgência e, na esperança de receber o perdão, a aprovaram como verdadeira e certa com sua própria presença.
Diante do testemunho de todas essas coisas, e na fé mais certa, assinalamos a presente carta com nosso selo. Dada em Assis, na festa de São Lourenço, no ano do Senhor de 1310”.

*Escritor, Tradutor, Professor e conferencista para diversos grupos franciscanos. Texto extraído do encontro de espiritualidade para as Irmãs Clarissas em 2010

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Papa Francisco inaugura imagem de São Miguel Junto com Bento XVI.

Em 5 de julho passado, o Papa Francisco inaugurou - na presença de Bento XVI -, uma imagem de São Miguel Arcanjo, localizada em frente ao Prédio do Governatorato, nos Jardins Vaticanos.


Na base da imagem, está o brasão dos dois Papas, pois foi desejada por Bento XVI e inaugurada pelo Papa Francisco.

No seu pronunciamento, o Papa Francisco recordou o significado que assume, neste Ano da Fé, a inauguração de uma imagem dedicada ao Arcanjo S. Miguel, cujo nome significa “Quem é como Deus?”.


"Miguel – sublinhou o Papa - é o campeão do primado de Deus, da sua transcendência e potência”. “Miguel luta para restabelecer a justiça divina; defende o Povo de Deus dos seus inimigos e sobretudo do inimigo, por excelência, o diabo. E São Miguel vence, porque nele é Deus que atua".

"Esta escultura recorda-nos que o mal é vencido, o acusador é desmascarado, a sua cabeça é esmagada, porque a salvação realizou-se uma vez para sempre no sangue de Cristo… Deus é o mais forte, é sua a vitória e a sua salvação é oferecida a todos os homens…".

Após a aspersão e bênção da imagem de São Miguel Arcanjo nos Jardins Vaticanos, na manhã desta sexta-feira, o Papa Francisco consagrou o Estado da Cidade do Vaticano a São Miguel Arcanjo e a São José.

Eis a consagração a São Miguel:


Ó glorioso São Miguel Arcanjo,
tu que trazes ao mundo a consoladora notícia da vitória do bem sobre o mal:abre a nossa vida à esperança.
Vigia esta Cidade e a Sé Apostólica,
coração e centro do catolicismo,
para que viva na fidelidade ao Evangelho e no exercício da caridade heróica.

O Senhor do universo te tornou poderoso contra as forças do inimigo:
desmarcara as insídias do Diabo e do espírito do mundo.
Torne-nos vitoriosos contra as tentações do poder, da riqueza e da sensualidade.

Sê tu o baluarte contra toda maquinação,
que ameaça a serenidade da Igreja;
Sê tu o sentinela dos nossos dos nossos pensamentos,
que liberta do assédio da mentalidade mundana:
Sê tu o guia espiritual,
que nos ampara no bom combate da fé.

Ó glorioso Arcanjo São Miguel,
que sempre contempla a Face Santa de Deus,
mantém-nos firmes no caminho para a Eternidade.
Amém.








quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Papa Francisco visitará Assis em Outubro


A pé como um simples peregrino na cidade do Pobrezinho. Assim os setores do Vaticano informaram que o Papa Francisco tem a intenção de prestar homenagem à cidade de Assis, na região da Úmbria, centro da Itália, na visita que realizará no próximo dia 04 de outubro. Os preparativos já estão bem adiantados. São esperadas 30 mil pessoas só de Assis e mais de 300 mil da Úmbria, Itália e do estrangeiro. A Região informou que o Santo Padre doará o óleo para a lâmpada votiva. 


O itinerário do Papa, o definitivo, só será detalhado no final deste mês ou começo de setembro. Autoridades vaticanas e forças policiais italianas já realizaram uma primeira visita detalhada aos lugares que o Papa visitará. Já está excluído que o Papa chegue de trem. Por motivos logísticos o Santo Padre vai de helicóptero.

Esta será a primeira vez que Papa Francisco visita Assis. Além da Basílica de São Francisco, gostaria de visitar a Porciúncula (a terceira igreja restaurada por São Francisco e lugar onde o Pobrezinho de Assis faleceu), Santa Clara e o Ermo das Prisões. 

A única etapa já confirmada é a visita ao Instituto Seráfico de Assis, especializado na reabilitação, educação e inserção social de pessoas com graves distrofias físicas e mentais, que no último dia 12 de junho enviaram uma carta pessoal ao Papa e a resposta positiva veio através do assessor pontifício Mons. Peter Wells.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

São Maximiliano Maria Kolbe, trecho da catequese de Bento XVI, na Audiência Geral de 13 de agosto de 2008.

(...) Aparentemente sua existência  poderia ser considerar uma derrota, porém precisamente em seu martírio resplandece o fulgor do amor que vence as sobras do egoísmo e del ódio.
A são Maximiliano Kolbe se atribuem as seguintes palavras que havia pronunciado em pleno furor da perseguição nazista: «O ódio no é uma fora criativa: só o amor o é». O generoso oferecimento si em troca de um companheiro de prisão, oferecimento, esse, que culminou com sua morte no búnker da fome, em 14 de agosto de 1941, foi uma prova heróica de amor.
«Ave Maria!»: foi a última invocação saída dos lábios de São Maximiliano Maria Kolbe, quando oferecia o braço para ser morto com uma injeção de ácido fênico. 
É comovente constatar que ir com  humildade e confiança ao encontro da Virgem é sempre fonte de coragem e serenidade. Enquanto nos preparamos a celebrar la solenidade da Assunção, que é uma das festas marianas mais arraigadas na tradição cristã, renovemos nossa confiança naquela que do céu vela com amor materno sobre nós em todos os momentos. Isso é o dizemos na oração familiar da Ave Maria, pedindo que rogue por nós «agora e na hora de nossa morte».
Saúdo cordialmente a os peregrinos de língua espanhola. Os envio a contemplar com fervor o testemunho de São Maximiliano María Kolbe. Seguindo seus passos, aceitando com humildade a Palavra de Jesus Cristo, meditada cada dia e levada a prática com valentia e constância.Também a seu exemplo, ponham-se sob o doce amparo da Virgem Maria, rezando o Santo Rosário e confiando sempre em seu amor de Mãe. Que Deus os abençoe.
(aos peregrinos de língua polaca) (...) O ato de amor heroico da morte de um mártir será sempre o sinal do triunfo da foça de Deus e a nobreza do homem sobre a intensidade do mal. Pedimos por sua intercessão o dom da paz no mundo. Que Deus abençoe a abençoe a vós e as vossas famílias.
(Trecho da audiência)

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Festa de São Luiz, Rei de França 2013


A Paróquia de São Luiz de França convida a todos para os festejos de seu padroeiro, que se iniciará no dia 16 com novena em preparação da festa! Segue abaixo a programação:



FESTA DE SÃO LUIZ, REI DE FRANÇA
16-25 DE AGOSTO DE 2013
Novena de nosso Padroeiro:
16 a 24 de Agosto as 19:30h
Dia 16 de Agosto: Mãe Rainha, Dízimo e Pastoral Social
Dia 17 de Agosto: Voluntários da JMJ, Jovens e Acolhimento
Dia 18 de Agosto: Equipes de Nossa Senhora
Dia 19 de Agosto: Pastoral da Saúde e
MESC's
Dia 20 de Agosto: Liturgia, Terço dos Homens e Capela N. Sra. Da Paz
Dia 21 de Agosto: Pastoral do Trabalhador, Círculos Bíblicos e Capela N. Sra. Das Graças
Dia 22 de Agosto: Coroinhas e Capela Santana e São Joaquim
Dia 23 de Agosto: Apostolado da Oração e Capela Santa Clara
Dia 24 de Agosto: Iniciação Cristã e Capela de N. Sra. do Amparo

DIA 25 DE AGOSTO, DOMINGO: DIA DE SÃO LUIZ, REI DE FRANÇA
10:00h – Procissão saindo próximo da Estação de Trem de Costa
Barros em direção a Igreja Matriz. Seguida de Missa Solene.

Após a Missa teremos Almoço (Carne Assada, Arroz, Feijão,
Salada e Farofa) com Bingo (TV LED 24”) e animado pelo
cantor Billy. Cartelas à venda com as pastorais e na secretaria no
valor de R$ 10,00.

Realização: PARÓQUIA SÃO LUIZ, REI DE FRANÇA – ESTRADA DE BOTAFOGO, 410 – COSTA BARROS
FRADES MENORES FRANCISCANOS CONVENTUAIS

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Consagração à Nossa Senhora se torna mais Cristológica

'Nossa Mãe Aparecida ficou ainda mais feliz', afirma reitor sobre nova Consagração



Por: Tatiana Bettoni (redação do portal A12)

A oração de Consagração à Nossa Senhora Aparecida rezada pelo Papa Francisco durante a Santa Missa celebrada por ele no Santuário Nacional de Aparecida, em 24 de julho, foi recebida com carinho por fiéis e religiosos. O novo texto inclui duas referências a Jesus Cristo (confira abaixo) e passou a ser rezado oficialmente após as celebrações já no dia seguinte à visita do Pontífice.

A reitoria do Santuário informou que já era prevista uma atualização da tradicional Consagração e que, com autorização da Santa Sé, o Papa foi convidado a rezá-la pela primeira vez. De acordo com o reitor, padre Domingos Sávio, a liberdade para alterar a Consagração ocorre por ser um texto devocional, e não litúrgico. “Com a inclusão da figura de Cristo, a oração deixa de ser exclusivamente mariológica, e fica mais completa”, afirma.

Segundo o reitor, o texto foi bem acolhido, mas é preciso prática para que seja rezado sem ajuda de uma ‘colinha’: “Os devotos estão acostumados com o texto antigo, vai levar um tempo até que decorem a nova versão. No começo causou estranheza, mas entendemos que Nossa Mãe Aparecida ficou ainda mais feliz”, avalia o reitor.

Duas semanas após a visita do Papa a Aparecida, devotos presentes no Santuário aprovam a nova Consagração. “Jesus foi muito bem colocado porque Ele aumenta nossa fé. O ser humano precisa cada vez mais de apoio, por isso Cristo unido a Nossa Senhora, como Mãe e Filho, formam um conjunto perfeito”, disse Elisabete Russo, de Poços de Caldas (MG).

Padre Eniroque Ballerini, da Paróquia São Judas Tadeu de Cubatão (SP), acredita que a inclusão de Jesus Cristo fortalece a oração: “Nossa Senhora conduz todo seu povo para Jesus. Temos que entender que tanto Nossa Senhora quanto os santos nos levam a Jesus, que é o Bom Pastor. Nós rezamos com eles para chegar a Cristo, que é o caminho, a verdade e a vida”.


Fonte:http://www.a12.com/noticias/noticia.asp?ntc=nossa_mae_aparecida_ficou_ainda_mais_feliz_afirma_reitor_sobre_nova_consagracao.html


quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Notícias Franciscanas: Julho de 2013



Ganham destaque no mês de julho o XXVI Curso de Inverno (Franciscanismo) promovido pela União dos Conventuais do Brasil (UCOB) para os frades estudantes de Teologia das jurisdições de Brasília, Maranhão, Rio de Janeiro e São Paulo ao todo mais de 30 frades entre formandos e formadores participantes do curso ministrado por professores conceituados em suas áreas de atuação como o Profº Marco Aurélio (ISB/UnB); Profº Frei Sandro Roberto OFM (ITF/ITFPS); Profº Frei Vitório Mazzuco OFM (ITF/USF) e Profº José Antônio (UFG) apresentando a Filosofia e Teologia Franciscana dos primeiros séculos, Roger Bacon – Guilherme de Ockham e a “Querela dos Espirituais com os Frades da Comunidade (Conventuais)”, Justiça, Paz e Salvaguarda da Criação e a importância de Santo Antônio: vida e obra. Além dos estudos acadêmicos este encontro é marcado pela vida fraterna, vida de oração em comum e a troca de experiências entre os frades além de estreitar laços entre as jurisdições da Ordem no Brasil.

Não só marca a vida da Ordem, da Igreja mas da História recente do país a realização da Jornada Mundial da Juventude na cidade do Rio de Janeiro mobilizando muitos segmentos da sociedade começando ao acolhimento dos peregrinos vindos de muitas cidades, estados e países diferentes. Na Casa de Formação São Francisco, na Paróquia São Francisco e a sede da OFS local do Rio Comprido foi um ponto de acolhida de peregrinos oriundos de São Paulo, Brasília, Piauí, Bélgica, Argentina, Venezuela, Itália (incluindo o Ministro Geral e 4 definidores gerais), Bolívia, EUA... Uma festa de línguas, culturas e fraternidade com um ponto em comum: Cristo Jesus no rosto da juventude do mundo inteiro. Além deste grande presente do encontro destacamos a presença do Sucessor de São Francisco, Frei Marco Tasca, que fez questão de Presidir a Santa Missa na manhã do dia 24/07 na Casa de Formação com a presença dos Frades do Rio e Brasília além das irmãs Clarissas de várias localidades do Brasil. Esta festa fraterna se estendeu ao café da manhã com muita alegria e descontração.

Durante a JMJ Rio 2013 no Largo da Carioca, em frente a Igreja São Francisco da Penitência foi aberto o Espaço Franciscano, marcando a presença franciscana com muita alegria, música, oração, exposição, dança... todos os dias de funcionamento foi muito concorrido pelos peregrinos e pelos franciscanos das três Ordens além das Concepcionistas, T.O.R e de vários membros de institutos e congregações franciscanas. A capela, montada nos fundos do Espaço, com Adoração ao Santíssimo Sacramento no lugar que no passado servia de refúgio para os escravos (FAVE LINGUIS), causava comoção aos visitantes pela beleza, simplicidade e espírito de contemplação/adoração promovido pelas irmãs contemplativas.
No fim do dia 23 antes de encerrar as atividades do primeiro dia os presentes foram agraciados pela música norte-americana do “El Padrecito e FoundNation” que animou a galera com o Rapper católico da melhor qualidade do Frei Masseo OFMConv.
Este Espaço estava de fato ungido pelo Senhor e pela união dos Franciscanos, exemplo disso foi a especial surpresa durante a oração da manhã do dia 25 quando se encontraram providencialmente os Ministros Gerais da primeira Ordem, que com palavras afáveis e de encorajamento fortaleceram ainda mais o fervor da vocação franciscana de cada irmão e irmã, além da simpatia, informalidade e disponibilidade em participar, conversar e fotografar com os presentes.
Em tempo, na Igreja dos Capuchinhos na Tijuca, aconteceu no dia 24/07 o encontro com os Gerais OFMConv, OFM, OFMCap, TOR, OFS, TOR feminina, Federação Concepcionista e JUFRA. Momento orante, formal e histórico para a FFB.

No entanto nem tudo é festa: no mesmo dia 24/07 se encontra com “a irmã morte” para o banquete celeste nosso irmão Sylvio Vieira de Carvalho membro da OFS do Rio Comprido, um dos fundadores da fraternidade local e grande colaborador da I Ordem além de um irmão especial para todos.

Durante toda a semana, na Quinta da Boavista (São Cristóvão) aconteceu a Feira Vocacional, com tendas de muitas Ordens, Congregações, Institutos, Comunidades de vida e aliança, pastorais e evidentemente a Família Franciscana do Brasil não poderia deixar de participar. Ganhou destaque a apresentação do “Flash Mob” Franciscano promovido pelas irmãs Franciscanas Alcantarinas, Os Frades Menores Capuchinhos e os Frades Menores Conventuais, um sucesso na Tenda 2 e teve um “bis” de improviso, em frente a Tenda Vocacional Franciscana. Sem dúvida a alegria franciscana ficou registrada na Feira Vocacional. Confira os vídeos:





Não podemos deixar de salientar a presença do Papa Francisco no Brasil durante a Jornada Mundial da Juventude, sua presença amorosa, seu exemplo de vida e de ações cativaram os jovens do mundo inteiro e os brasileiros. Com sua personalidade marcante e palavras firmes, ofuscaram os desencontros administrativos e artísticos do Comitê Organizador Local com os Poderes públicos, e  o excesso da suntuosidade de luzes, cores e encenações teatrais desbotaram diante da simplicidade do sucessor de São Pedro e não impediram o Romano Pontífice de se encontrar o Rebanho de Cristo durante a sua primeira viagem pastoral, tocando e alegrando o coração de cada pessoa com seu terno olhar e largo sorriso de pai  e Pastor, colocando o que era supérfluo e desnecessário em segundo plano. 



Os Mais Vistos