Ordem dos Frades Menores Conventuais - Custódia Provincial Imaculada Conceição dos Franciscanos Conventuais do Rio de Janeiro - PAZ & BEM!!!

segunda-feira, 19 de março de 2012

Entendendo a Liturgia: INTRODUÇÃO À LITURGIA DA MISSA (Parte 4/4)

Pesquisado por Frei Fábio Soares, OFMConv e equipe.
  • As várias partes da Santa Missa
  • Ritos Iniciais
  • Liturgia da Palavra
  • Liturgia Eucarística
  • Ritos Finais
Ritos Iniciais:
Cântico e procissão de Entrada
Saudação do Altar e da Assembléia
Ato Penitencial
Kyrie, eleison
Gloria in excelsis
Oração da Coleta
Entrada (Cântico de Entrada)
Dar início à celebração
Favorecer a união dos fiéis reunidos
Introduzir os fiéis no mistério do tempo litúrgico ou da festa
Entrada (Procissão de Entrada)
O turiferário com o turíbulo fumegante, se usar­ o incenso;
Os ceroferários com velas acesas, e entre eles um acólito ou     outro ministro com a cruz;
Os acólitos e outros ministros;
O diácono que leva o Evangeliário um pouco elevado, não, porém, o Lecionário;
O sacerdote que vai presidir a Missa.
Representa o Salvador vindo a este mundo, manifestando a vontade de se oferecer e começando o ser
sacrifício desde a Encarnação. As velas simbolizam a luz que ilumina todo homem.
A Cruz mostra o sacrifício que marcou a vida de um Deus feito homem.
O incenso indica o perfume da doutrina, oração e das virtudes que Ele veio ensinar ao mundo.

Saudação do altar e da Assembléia
                a)do altar
                               Inclinação profunda.
                               Beijo.
                b) assembléia
                               Fazer sentir à Assembléia reunida a presença de Nosso Senhor.
Ato Penitencial
                a) Reconhecimento das faltas e reconciliação com Deus.
                b) Carece da eficácia do sacramento da penitência.
(pode-se fazer a bênção e aspersão da água em memória do batismo)
- Kyrie, eleison
Depois do Ato Penitencial, diz sempre o “Senhor, tende piedade de nós (Kyrie, Eleison)”, a não ser que tenha sido incluído no ato penitencial.
-Gloria in excelsis
O Glória é um antiguíssimo e venerável hino com que a Igreja, congregada no Espírito Santo, glorifica e suplica a Deus e ao Cordeiro.
Não é permitido substituir o texto deste hino por outro.
-Oração da Coleta
Recolhimento em silêncio, a fim de, tomar consciência da presença de Deus.
Exprime a índole da celebração.
Preces individuais.
Se dirige a Deus Pai, por Cristo, no Espírito Santo.
Este é o único elemento que não pode ser omitido nos Ritos iniciais.


Liturgia da Palavra
Silêncio
Leituras Bíblicas
Salmo Responsorial
Aclamação antes da leitura do Evangelho
Homilia
Profissão de fé
Oração universal

Silêncio
“A Liturgia da Palavra deve ser celebrada de modo a favorecer a meditação” (Nova IGMR 59)
“Haja nela também breves momentos de silêncio”, “nos quais com ajuda do Espírito Santo, a Palavra de Deus possa ser interiorizada.”
Leituras Bíblicas
“Na celebração da Missa com o povo, as leituras proclamam­-se sempre do Ambão.”
“Através das leituras, Deus fala a seu povo.” (cf. Nova IGMR 58)
Salmo Responsorial
“Favorece a meditação da Palavra de Deus.”
“O salmo responsorial corresponde a cada leitura e habitualmente toma-se do Lecionário.” (Nova IGMR 61)
Aclamação ao Evangelho
“Depois da leitura, que precede imediatamente o Evangelho, 
canta se o Aleluia ou outro cântico, indicado pelas rubricas, 
conforme o tempo litúrgico.”
“A assembléia dos fiéis acolhe e saúda o Senhor, que vai lhe falar no Evangelho.” (Nova IGMR 62)
Homilia
“É um elemento necessário para alimentar a vida cristã.”
“É a explicação das Palavras do Senhor.”
“Deve ser a explanação de algum aspecto das leituras da Sagrada Escritura ou de outro texto do Ordinário ou Próprio da Missa do dia, tendo sempre o mistério celebrado, bem como as necessidades peculiares dos ouvintes.” (idem 65)
Profissão de Fé
“Tem como finalidade permitir que todo o povo reunido, responda à Palavra de Deus anunciada nas leituras das Sagradas Escrituras e exposta na homilia.”
“Recordar e professar os grandes mistérios da fé, antes de começarem a ser celebrados na Eucaristia.” (idem 67-68)
Existem dois símbolos próprios para serem utilizados nas missas:
Símbolo apostólico.
Símbolo Niceno-Constantinopolitano.

Oração universal (ou Preces dos Fiéis)
“É a súplica comunitária pelas necessidades da Igreja universal, do mundo e Igreja local”
Normalmente a ordem das intenções é a seguinte:
Pelas necessidades da Igreja.
Pelos poderes públicos e pela salvação de todo o mundo.
Pelos que sofrem qualquer necessidade.
Pela comunidade local.
Em celebrações especiais – por exemplo, Confirmação, Matrimônio, Exéquias – a ordem das intenções pode acomodar-se às circunstâncias.
(idem 69-70)
“É bom que se faça preces curtas e objetivas.”

Liturgia Eucarística

Preparação dos dons (ou das ofertas)
Oração sobre as oblatas
Oração eucarística
Rito da comunhão
Rito da paz
Fração do pão
Comunhão
Oração Pós-Comunhão

Preparação dos dons (ou das ofertas)
“Na Preparação sobre as oferendas, levam-se ao altar o pão e o vinho com água, isto é, aqueles elementos que Cristo tomou em suas mãos.”
“Em primeiro lugar prepara-se o altar ou mesa do Senhor, que é o centro de toda a liturgia eucarística, colocando-se nele as alfaias, o Missal Romano, o cálice com vinho, a patena com a hóstia”
“É de louvar que o pão e o vinho sejam apresentados pelos fiéis.” (idem 72)
Preparação dos dons (ou das ofertas)
“O sacerdote pode incensar os dons colocados sobre o altar, a cruz e o próprio altar.”
“Depois o sacerdote e o povo.”
“A seguir o sacerdote lava as mãos, exprimindo por esse rito um desejo de purificação interior” (idem 74-76)

Oração sobre as ofertas
Após a preparação das oferendas para o sacrifício, o sacerdote profere a oração sobre as oferendas (própria de cada celebração).
A assembléia responde:”Amém”.
Oração eucarística
Momento central e culminante de toda a celebração.
“Por ela os fiéis se unem a Cristo para proclamar as maravilhas de Deus e oferecer o verdadeiro sacrifício: oferecem o Cristo, pelo sacerdote; e unidos a Cristo, oferecem a si mesmos ao Pai”.
Visa preparar os fiéis para receberem o corpo e o sangue do Senhor como alimento espiritual.
Oração eucarística (idem 79)

Elementos principais da Oração eucarística:
Ação de graças (no Prefácio);
Aclamação (Sanctus);
Epíclese (invocações especiais);
Narração da instituição e consagração;
Anamnese (celebramos a memória do Cristo, recordando a sua paixão, gloriosa ressurreição e ascensão aos Céus);
Oblação;
Intercessões (comunhão com toda Igreja, tanto do céu como da terra);
Doxologia final (exprime a glorificação de Deus).

Rito da Comunhão
“Visa preparar os fiéis para receberem o corpo e o sangue do Senhor como alimento espiritual.”
Na oração do Pai-Nosso nos sentimos filhos do mesmo Pai que está nos céus, pedimos o pão de cada dia e a vinda do reino de Deus.
Após a oração do Pai-Nosso, o sacerdote diz sozinho o embolismo (que é o desenvolvimento da última petição da oração do Pai-Nosso).
O povo conclui com uma doxologia. “Vosso é o Reino...”
Rito da Paz
“A Igreja implora pela paz e a unidade para si própria e para toda a família humana.”
Todos se saúdam fraternalmente.
“É conveniente que cada um dê a paz com sobriedade e apenas aos que estão perto de si, de modo sóbrio”. (Redemptionis Sacramentum 72) e (Nova IGMR 82)
- Fração do Pão
O sacerdote parte o pão eucarístico.
O gesto da fração, praticado por Cristo na última Ceia, e que serviu para designar, nos tempos apostólicos, toda ação eucarística, significa que os fiéis, apesar de muitos, se tornam   um só Corpo, pela Comunhão do mesmo pão da vida que é Cristo, morto e ressuscitado pela salvação do mundo (1 Cor 10, 7)
Oração pós- comunhão
Avisos
Saudação e bênção do sacerdote
Despedida da assembléia
Beijo no altar por parte do sacerdote e depois inclinação profunda.
BIBLIOGRAFIA
  •     Sagrada Escritura (exceto a edição pastoral da Editora Paulus, Ave Maria e CNBB se usada para Estudo Acadêmico);
  •        Constituição Sacrosanctum Concilium: sobre a sagrada liturgia 1963;
  •        Catecismo da Igreja Católica 1993;
  •         Instrução Geral do Missal Romano edições 1991 e a “nova” de 2002;
  •       Instrução Redemptionis Sacramentum: sobre alguns aspectos que deve observar e evitar acerca da Santíssima Eucaristia, 2004.
  •   Cerimoniário dos Bispos
;

BIBLIOGRAFIA PARA PESQUISA
  •          Diretório Liturgico, CNBB;
  •         Guia Litúrgico-Pastoral, CNBB;
  •         Dicionário de Liturgia, Edições Paulinas: São Paulo, 1992;
  •         Código do Direito Canônico (CIC), 1983;
  •         Manual de Liturgia em IV volumes, CELAM (Conselho Episcopal Latino- Americano) “A Celebração do Mistério Pascal”, Paulus: São Paulo, 2004;
  •      BECKHÄUSER, Frei Alberto. A liturgia da Missa. Vozes: Petrópolis, 1988.
  •          RATZINGER, Card. Joseph. Introdução ao Espírito da Liturgia. Paulinas: São Paulo, 2001.

ENDEREÇOS ELETRÔNICOS PESQUISADOS (Entre Dezembro de 2011 e Janeiro de 2012)
Oração para o início dos Encontros:

&Prece a Santa Virgem Maria
      Santa Virgem Maria, não há entre as mulheres no mundo semelhante a ti, filha e serva do altíssimo e sumo Rei Pai celestial, mãe do santíssimo Nosso Senhor Jesus Cristo, esposa do Espírito Santo: roga por nós com São Miguel Arcanjo, e com todas as virtudes celestes e com todos os santos, junto ao teu santíssimo dileto Filho, Senhor e Mestre. Amém! (São Francisco de Assis)

    Prece ao Espírito Santo
     Onipotente, Eterno, Justo e misericordioso Deus, concede a nós míseros, fazer por causa de ti mesmo, isto que sabemos que Tu o queres e sempre querer o que te apraz, para que assim interiormente purificados e iluminados e abrasados pelo fogo do Santo Espírito, possamos seguir os vestígios do Teu dileto Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, e chegar unicamente por tua graça a Ti altíssimo, que na Trindade perfeita e na unidade simples vives e reina e és glorificado, Deus Onipotente, por todos os séculos dos séculos.  Amém! (São Francisco de Assis)

Nenhum comentário:

Os Mais Vistos