Ordem dos Frades Menores Conventuais - Custódia Provincial Imaculada Conceição - Franciscanos Conventuais do Rio de Janeiro - PAZ & BEM!!!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

CONVocações: setembro de 2011/ Mês da Bíblia


Estimado(a) Amigo(a) espiritual,

Que o Senhor te dê a Paz!
Com alegria chegamos ao mês de setembro. Nós da equipe do Convocações, juntamente com o(a) senhor(a), temos muito o que comemorar. A primeira comemoração é pelo próprio dom da vida. Conforme diria um poeta: enquanto há vida há esperança. Outro motivo de comemoração foi a ordenação diaconal do Frei Ilson que ocorreu mês passado na cidade de Araruama (RJ) e a proximidade da ordenação diaconal de Frei Luiz Fernando Lima Rangel, que será ordenado no próximo dia 03 de setembro na nossa paróquia de São Francisco de Assis (Rio Comprido – RJ) às 16 horas. Além desses motivos para nos alegrarmos deve-se somar a aproximação dos festejos do nosso pai São Francisco de Assis, que solenemente será celebrado no próximo dia 04 de outubro em todos os nossos conventos e paróquias e, de modo particular, pela nossa paróquia mãe situada no Rio Comprido (RJ). Não deixe de vir alegrar-se conosco, pois essas alegrias são possíveis graças às suas orações e ajuda ao Convocações.
Setembro também é o mês da Bíblia. Durante estes trinta dias, a Igreja Católica convida a seus fiéis a intensificarem sua escuta, meditação e reflexão sobre a Palavra de Deus, a fim de torná-la mais viva e eficaz em nossas vidas. Pois, conforme nos ensina São Jerônimo, “desconhecer a Escritura é desconhecer a Cristo e se negar a anunciá-lo”. Uma maneira de ampliar o contato com a Sagrada Escritura, utilizada desde o início do cristianismo e sempre novamente recomendada pela Igreja, é a leitura orante da Bíblia (Lectio Divina). Essa metodologia tem vários modos de ser aplicada. Normalmente, as pessoas dividem essa experiência de oração em quatro momentos: leitura, meditação, oração, contemplação. Contudo, ao nos debruçarmos sobre os Escritos de Santa Clara, aproveitando a alegria de estarmos celebrando os 800 anos de consagração de Santa Clara, percebemos que a proposta de mística de oração desta santa é composta de três vias que podem, muito bem, serem aplicadas a nossa oração diária com a Bíblia.
A Santa fundadora da segunda Ordem Franciscana no desejo de ensinara a Santa Inês de Praga um caminho de perfeição para o crescimento na imitação de Jesus escreve: “Com o desejo de imitá-lo, mui nobre rainha, olhe, considere, contemple o seu esposo, o mais belo entre os filhos dos homens (Sl 44,3) feito por sua salvação o mais vil de todos, desprezado, ferido e tão flagelado em todo o corpo, morrendo no meio das angústias próprias da cruz”.
Esse exercício de olhar, considerar e contemplar pode ser também realizado diante do “espelho da Palavra de Deus” no qual está contido o rosto do homem por excelência revelado a nós na Pessoa de Jesus Cristo, o Verbo de Deus feito homem. Sendo assim, a lectio divina clariana é composta de três passos.
No primeiro passo somos convidados a tomar um primeiro contato com a Palavra simplesmente olhando-a. Em outros termos, somos chamados a ler a Palavra e com os ouvidos atentos ouvir o que Ela tem a nos dizer. Neste passo não há nenhum julgamento, somente a constatação. A nossa preocupação não é outra senão entender o que está escrito no texto. Diante da Bíblia apenas nos perguntamos: o que está escrito aqui? Sobre o que o texto está falando? Quais são os personagens que aparecem no texto? Existe alguma palavra que não conheço? O que ela significa?
O segundo passo ensinado por Santa Clara é o da consideração. Neste momento, somos convidados a nos deter diante da Palavra e a procurar algo que nos chame a atenção. Considerar, para Santa Clara é o mesmo que meditar. . Considerar é ruminar aquilo que se vê. É se deter com um olhar mais atento e questionador. É colocar-se as seguintes questões: O que isto que estou vendo me revela acerca de Deus e acerca da minha vida? Por que essa Palavra me chama atenção? Neste ponto, é importante que se escolha ao menos um versículo ou mensagem para se demorar com ele e pensá-lo ao longo do dia.
O último passo é o da contemplação. A contemplação é um convite a transformar-se no contemplado. Neste momento da leitura orante somos chamados a ficar em silêncio diante da Palavra para que possamos ouvir a voz de Deus e atender ao convite de amor que ele nos faz. Nesta hora, não se fala, apenas se experimenta a força transformadora e renovadora da Palavra. O trabalho nesta etapa é para acolher a voz de Deus e deixar-se moldar-se pela Sua Palavra tornando-se um com o que foi lido. Desse passo brotará o compromisso prático de tornar concreta a Palavra orada na própria vida.
Todos esses passos são realizados em oração. E são eles que fazem com que cresçamos no seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Que possamos ser como São Francisco e Santa Clara que não foram ouvintes distraídos da Palavra, mas construíram as suas vidas sobre a rocha firme dos ensinamentos do Santo Evangelho que para eles tornou-se Vida e Regra.
Que pela intercessão de São Francisco possamos crescer no conhecimento de Deus por meio da Sagrada Escritura.





ANIVERSARIANTES DO MÊS:


PAULO AFONSO ALMEIDA LASNEAUX
APARECIDA DAS GRAÇAS B. VIEIRA
JAQUELINE DE FÁTIMA NASCIMENTO
WILMA O. M. CHAVES
MARIA LÚCIA DE MORAES COELHO
ELIZA MARIA CAMPOS LEAL
FLÁVIO SALGADO
MERCEDES PESSOA DE ARAÚJO
SEBASTIÃO AURÉLIO DE ALMEIDA
SUELI FERREIRA SOBRINHO
FRANCISCA DE CARVALHO OLIVEIRA

A todos os nossos aniversariantes nosso fraterno abraço e as bênçãos de Deus pela intercessão de nosso Seráfico Pai São Francisco e da Imaculada Virgem Maria!


Paz e Bem!

sábado, 27 de agosto de 2011

Capítulo da Província de Brasília

Frei Marcelo*


Aconteceu entre os dias 22 a 26 de agosto de 2011, o 3º Capítulo Provincial Ordinário da Província São Maximiliano Kolbe do Brasil da Ordem dos Frades Menores Conventuais de Brasília. Na presença do 120º sucessor de São Francisco de Assis e Ministro Geral da Ordem, Frei Marco Tasca e Frei Jorge Fernandez, assistente geral para a América Latina, os frades, que somavam 58 votantes , prestaram contas do último quadriênio e lançou-se a estudar as novas metas e perspectivas para o planejamento dos anos 2011 a 2015. Para isso elegeram o Ministro Provincial e o Governo Provincial para o próximo quatriênio.



Foram reeleitos na tarde de quinta-feira 25 de agosto o Ministro Provincial Frei Norberto de Moura Cruz, e na manhã de sexta-feira o Vigário Provincial, Frei Casimiro Cieslik, o secretário da Província, Frei Marcelo Veronez e outros 3 definidores provinciais, são eles: Frei Gilberto de Jesus, Frei Flávio Freitas de Amorim e Frei José Roberto Carvalho, bem como o Ecônomo Provincial, Frei Fabrício Nogueira.


Ministro Geral Frei Marco Tasca e o reeleito Ministro Provincial Frei Norberto

O Capítulo em sua primeira fase, visou antes de tudo, a avaliação do último quadriênio e eleição do governo da Província.

* FONTE: http://www.franciscano.org.br/v3/pages/texto.php?id=262

EDITORIAL: A Equipe do “São Francisco em conversa” e com os frades da Jurisdição do Rio de Janeiro, dá os parabéns ao novo governo da Província de Brasília e pede a intercessão da Virgem Imaculada, do Seráfico Pai São Francisco e de São Maximiliano Maria Kolbe a todos os confrades!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Paróquia festeja seu padroeiro São Luis Rei de França

Os frades da Casa de Formação tiveram a alegria de participar da Soleníssima Missa em Honra a São Luís Rei de França no bairro carioca de Costa Barros! Uma grande celebração com uma afinadíssima equipe litúrgica paroquial e calorosa acolhida dos paroquianos! A Santa Missa foi Presidida por Dom Paulo Cezar, bispo auxiliar da arquidiocese do Rio de Janeiro e co-celebrada pelo pároco Frei Paulo Sérgio e seu vigários Frei José Cardozo e Frei Alessandro, contando com a presença do Formador dos Frades em Teologia: Frei Donil Alves e do Diácono Permanente Xisto! No fim da celebração Frei Paulo agradeceu a presença de todos e homenageou os membros da OFS de São João de Meriti que estavam presente, entre eles o Ministro Local e Vice no Regional o irmão Arion, por terem São Luís como Co- Patrono da Ordem Terceira Franciscana, da qual o Santo Francês fez parte! Segue algumas fotos:

São Luis Rei de França
Paróquia decorada com as cores da bandeira Francesa



Detalhe do presbitério!


Capela do Santíssimo

Detalhe da Capela do Santíssimo






OFS de S.J. Meriti



Encontro Vocacional de Agosto 2011



Frei Willian, Frei Luiz Fernando e Frei Leonardo: Animadores vocacionais!
No último fim de semana 19-20-21 de agosto, aconteceu na Casa de Formação São Francisco de Assis no Rio Comprido o IV Encontro Vocacional do S.A.V Conventual! Animado pelos Frades Luiz Fernando, Leonardo e Willian e com a colaboração de Frei Fábio Soares e Frei Marcelo! Foram dias de muita reflexão, devoção, convivência fraterna e apresentação de tudo o que consiste a vida franciscana conventual! Todos os dias os candidatos participavam da Santa Missa, presidida pelo Custódio Provincial Frei Antônio Molisani, e da Liturgia das Horas! Os jovens são oriundos de Araruama/RJ, Costa Barros/RJ e de Minas Gerais. Segue algumas fotos deste encontro e mensagem de Frei Leonardo sobre o encontro!




Frei Antônio Molisani, presidindo a Santa Missa na Casa de Formação

























Caríssimos irmãos, Paz e Bem!

Neste fim de semana passado (19 a 21 de agosto de 2011) foi realizado mais um encontro vocacional com o tema sobre as orações franciscanas. E aconteceram momentos de muita alegria e experiência franciscana sobre as orações, que o próprio Francisco de Assis teve a partir do encontro com o “Crucificado” e expressar tal fato resultou em belos hinos de louvor ao Altíssimo e Glorioso Deus e ver que nas criaturas também há expressão do Amor Gratuito d`Ele. Tanto que o poverello – o pequenino – de Assis compôs o cântico do Irmão Sol, expressando que elas – criaturas – são também expressão do Belo. E como não poderia ficar à margem, o amor por Nossa Senhora foi o pleno dom de doação e exemplo de Francisco e, portanto, foi também apresentado o sub-tema sobre Devoção Mariana. Tais sub-temas foram apresentados pelos frades Leonardo Rodrigues, Luiz Fernando e Fábio Soares, respectivamente.

Por conseguinte, houve dinâmicas sobre o tema com o Fr. Marcelo dos Santos e momentos de orações com o fr. Willian Gomes. Contamos com a presença de sete vocacionados, a saber: Arthur, Luís Henrique e Wallace, de Araruama; Eduardo e Rafael, do bairro de Costa Barros – Rio de Janeiro; Ricardo Azevedo, de Búzios/RJ e de Carlos Magno, de Conceição do Mato Dentro/MG. São pessoas que aproveitaram muito nosso encontro e, de coração aberto à proposta, empenharam-se muito nesta dinâmica.

Que o Altíssimo e Glorioso Deus continue a abençoar e suscitar nos jovens o desejo de seguirem a Cristo de modo mais radical, a exemplo de São Francisco de Assis e iluminar os passos de nossa missão e os de nossos vocacionados. Agradecemos a colaboração de todos os frades e o carinho do todos os que contribuíram para que tal encontro acontecesse. Que Maria Santíssima seja para nós o espelho do serviço e interceda por todos nós.

Abraços fraternos e até o próximo encontro vocacional, que acontecerá nos dias 24 a 26 de setembro de 2011.

Que o Senhor vos conceda a paz!

Fr. Leonardo Rodrigues, OFMConv.
Serviço de Animação Vocacional.




Santa Camilla Battista Varano, OSC de Camerino, a clarissa canonizada mais recentemente.

Assis, Quarta feira, 24 de agosto de 2011

As basílicas de Santa Clara de Assis e de Santa Maria dos Anjos, na Porciúncula, acolhem nesta semana o corpo de Santa Camilla Battista Varano de Camerino, a clarissa canonizada mais recentemente. A iniciativa faz parte do 8º centenário da consagração de Santa Clara na Porciúncula, ocorrida entre os anos 1211 e 1212, segundo um comunicado dos franciscanos. O programa prevê que o corpo da santa permaneça na basílica de Santa Maria dos Anjos até hoje, quando a Santa será levada à basílica de Santa Clara, onde as clarissas a acolherão com o canto das Vésperas. O corpo de Santa Camilla Battista Varano voltará, no dia 26 de agosto à tarde, ao mosteiro de Santa Clara, na localidade italiana de Camerino, onde é custodiado habitualmente. Santa Camilla foi canonizada no último dia 17 de outubro e se distingue pela tenacidade e firmeza com que quis buscar os ideais e o carisma de Santa Clara de Assis, na região de Las Marcas.

Princesa santa

Camilla nasceu na corte de Varano. Seu pai, Giulio Cesare de Varano, era o príncipe de Camerino. Ela passou a juventude entre festas, bailes e vida social. Estudou latim, leis, aprendeu a pintar e montar a cavalo. Cresceu em um suntuoso palácio. Conta sua autobiografia que, quando tinha 9 anos, em uma Sexta-Feira Santa escutou uma homilia na qual o irmão Domenico da Leonessa pediu aos presentes que derramassem pelo menos uma lágrima, cada sexta-feira, por amor a Jesus. Ela assumiu isso como um voto, que seguiu durante toda a vida. Intuiu muito jovem a vocação à vida religiosa, mas lhes custava aceitá-la. Depois decidiu abandonar-se nas mãos de Deus e entendeu que Ele a chamava, mas seu pai queria que ela se casasse. Sua nova luta foi superar os obstáculos para poder entrar no mosteiro. Aos 23 anos, entrou no mosteiro de Santa Clara de Urbino, um dos lugares mais representativos do movimento da observância. “Faz, Senhor, que minha vida sempre te louve, bendiga, glorifique e edifique meus irmãos”, dizia a futura santa, em um dos seus escritos. Dois anos mais tarde, Camilla fez sua profissão religiosa com o nome de Sor Battista, junto a outras 8 irmãs de Urbino e, assim, ingressou no novo mosteiro de Camerino. Seu pai e seus irmãos foram assassinados em uma perseguição que sua família sofreu em 1502. Camilla foi obrigada a refugiar-se na cidade de Atri, uma pequena localidade de Abruzzo, na região meridional da Itália. Em 1505, o Papa Júlio II a enviou a fundar um mosteiro de clarissas em Fermo e, nos anos 1521 e 1522, ela viajou a San Severino delle Marche para formar as clarissas locais que haviam assumido naquele período a regra de Santa Clara.

Mística

Camilla teve diferentes experiências místicas, que se refletem nos numerosos escritos, nos quais revela seu ardente amor a Cristo crucificado. Morreu em 31 de maio de 1524, durante uma peste. “Ressuscitaste-me em ti, verdadeira vida que dás a vida a cada vivente”, escreveu Camilla. Atualmente, seu corpo está custodiado e exposto ao culto em uma cripta dedicada a ela, na igreja do mosteiro de Camerino. O milagre para a sua canonização ocorreu em 1877. Trata-se da cura milagrosa de uma menina chamada Clelia Ottaviane, de Camerino, que sofria de raquitismo. Devido a alguns problemas do postulador anterior, a causa se deteve durante 100 anos. Foi retomada em 1998 e, em dezembro de 2009, o Papa Bento XVI assinou o decreto em que se aprovava o milagre para a sua canonização. As obras de Camilla fora recopiladas em alguns livros que estão sendo reeditados pelas irmãs clarissas por ocasião da sua canonização: “Lembranças de Jesus”, “As dores mentais da paixão de Jesus”, “Autobiografia”, “Instruções ao discípulo”, “Tratado da pintura do coração” e “Considerações sobre a paixão de Nosso Senhor”. Em um dos seus escritos, Camilla exorta: “Sirva-o por puro amor, porque só Ele é o Senhor que merece ser servido, amado, louvado em cada criatura”.

Fonte: Zenit

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

São Luis IX, Rei de França.

São Luís nasceu no castelo de Poissy, a 30 quilómetros de Paris, a 25 de Abril de 1214 ou 1215, dia de procissões solenes do dia de São Marcos. A sua infância terá sido influenciada pela figura do seu pai que, unindo o zelo pela religião à bravura marcial que lhe valeu o cognome de o Leão, subjugou os cátaros do sul da França.
Particularmente zelosos da sua educação, os pais de Luís IX deram-lhe bons preceptores: Mateus II de Montmorency, Guilherme des Barres, conde de Rochefort, e Clemente de Metz, marechal da França, inspiraram-lhe os sentimentos de um rei cristianíssimo e filho da Igreja.
Com a morte do seu pai em 8 de Novembro de 1226, Luís IX subiu ao trono aos 12 anos de idade. Foi sagrado na catedral de Reims por Jacques de Bazoches, bispo de Soissons, em 30 de Novembro do mesmo ano.
Por testamento de Luís VIII, a mãe do jovem monarca assumiu a regência de França com o título de «baillistre», guardião da tutela do rei. De personalidade forte, Branca de Castela encarnava a glória de ser filha, sobrinha, esposa, irmã e tia de reis.
Durante a menoridade de Luís IX, a rainha mãe enfrentou as ambições da Inglaterra e as pressões da nobreza do reino, que desejavam valer-se da pouca idade do soberano para retomar os direitos perdidos para os monarcas do último século.
Delicado, louro e de olhos azuis, Luís atingiu a maioridade a 25 de Abril de 1234 mas continuou a manter a mãe numa posição de confiança e poder. Esta organizou o seu casamento, realizado no dia 27 de Maio de 1234, na catedral de Sens, pouco depois de o rei completar 20 anos. A esposa escolhida foi Margarida da Provença, a filha mais velha de Beatriz de Sabóia e do conde Raimundo Berengário IV da Provença e de Forcalquier, e irmã de Leonor, esposa de Henrique III da Inglaterra.
Este reinado foi um período de paz e prosperidade para a França, mas também de excepcionais zelo religioso e intolerância, com a intenção de conduzir o povo francês à salvação da alma. São Luís não negligenciava o cuidado dos pobres, proibiu o jogo e a prostituição e punia a blasfémia. As punições estipuladas eram tão rigorosas que o papa Clemente IV julgou ser necessário atenuá-las.
Outro dos traços em que a religiosidade deste monarca se manifestou foi na aquisição da coroa de espinhos e de um fragmento da cruz da crucificação de Jesus Cristo, em 1239-1241, a Balduíno II, imperador de Constantinopla, por 135.000 libras. Para estas relíquias mandou edificar a capela gótica de Sainte-Chapelle no coração de Paris, que curiosamente só custou 60.000 libras para construir. Sob este reinado foram também construídas as catedrais de Amiens, Rouen, Beauvais, Auxerre e Saint-Germain-en-Laye.
O monarca francês era zeloso da sua missão de «lugar-tenente de Deus na Terra», da qual fora investido na sua coroação em Reims. De forma a cumprir este dever organizaria duas cruzadas e, apesar de ambas terem fracassado, contribuiram para o seu prestígio. Os seus contemporâneos não teriam compreendido se um rei tão poderoso e piedoso não fosse libertar a Terra Santa.
Em 1244 Luís IX caiu gravemente enfermo de disenteria, a ponto de alguns terem como certa sua morte. Foram organizadas vigílias, procissões e outros actos religiosos pela sua convalescença, e o próprio monarca fez então um voto: caso sobrevivesse, partiria em cruzada para libertar o Santo Sepulcro.
Quando recuperou a saúde, em 1248, apesar das oposições da Corte, cumpriu o que havia prometido. Preparou um grande exército e, por várias vezes, comandou as cruzadas para a Terra Santa. Mas em nenhuma delas teve êxito. Primeiro, foi preso pelos muçulmanos, que o mantiveram no cativeiro durante seis anos. Depois, numa outra investida, quando se aproximava de Tunis, foi acometido pela peste e ali morreu, no dia 25 de agosto de 1270.
Os cruzados voltaram para a França trazendo o corpo do rei Luís IX, que já tinha fama e odor de santidade. O seu corpo repousa na Abadia de Saint-Denis.
O culto deste santo foi juridicamente examinado e aprovado pelo papa Bonifácio VIII, que o canonizou em 1297 com o nome de São Luís da França. São Luís é considerado o modelo do monarca cristão.
Franciscano Secular, de vida e coração, soube ensinar às gerações vindouras a arte de bem governar ao serviço do Povo. São do seu testamento espiritual - indelével legado ao seu filho - as seguintes ilustradas palavras:
«Guarda, meu filho, um coração compassivo para com os pobres, infelizes e aflitos e, quanto puderes, auxilia-os e consola-os.
Por todos os benefícios que te foram dados por Deus, rende-lhe graças para te tornares digno de receber maiores.
Em relação a teus súbditos, sê justo até o extremo da justiça, sem te desviares; e põe-te sempre de preferência da parte do pobre mais do que do rico, até estares bem certo da verdade.
Procura com empenho que todos os teus súbditos sejam protegidos pela justiça e pela paz».
Muito do que actualmente se sabe sobre a vida de São Luís foi o que ficou registrado por Jean de Joinville, o seu principal biógrafo com a obra «A Vida de São Luís». Jean de Joinville era amigo, confidente e conselheiro do rei, e também foi uma das principais testemunhas no processo de canonização em 1297 pelo papa Bonifácio VIII. Duas outras biografias importantes foram escritas pelo confessor do rei, Godofredo de Beaulieu, e pelo seu capelão, Guilherme de Chartres, Grão-Mestre da Ordem dos Templários. A quarta notável fonte de informação é a biografia de Guilherme de Saint-Pathus, escrita usando o inquérito papal sobre a vida do rei para a sua canonização.

Ordem Franciscana Secular - Conselho Nacional

domingo, 21 de agosto de 2011

Vida Consagrada

Bento XVI constatou que «são necessárias opções valentes, pessoais e comunitárias», para redescobrir e mostrar a beleza do seguimento de Cristo na vida consagrada.
Foi o desafio que propôs nesta segunda-feira ao receber em audiência na Sala Paulo VI aos superiores e superioras gerais dos institutos de vida consagrada e sociedades de vida apostólica.
Seu discurso se converteu em uma análise de alguns dos desafios fundamentais que deve enfrentar a vida consagrada nestes momentos nos quais, em algumas partes do planeta, se experimenta uma falta de recambio geracional (Cf. Vida religiosa: evolução desigual por continentes nos últimos cinco lustros).
O encontro deu também a oportunidade ao Papa para manifestar sua estima pelos religiosos, em particular a «todos que estão em dificuldade, aos anciãos e enfermos, a quem está passando momentos de crise e solidão, a quem sofre e se sente perdido» ou a quem toca às portas de uma família religiosa para «entregar-se a Jesus Cristo, na radicalidade do Evangelho».
«Os consagrados e as consagradas têm hoje a tarefa de ser testemunhas da transfiguradora presença de Deus em um mundo cada vez mais desorientado e confuso, um mundo no qual os matizes substituíram as cores sumamente claras e destacadas», declarou.
Nesse sentido, reconheceu que «a vida consagrada nos últimos anos voltou a ser compreendida com um espírito mais evangélico, mais eclesial e mais apostólico; mas não podemos ignorar que algumas opções concretas não ofereceram ao mundo o rosto autêntico e vivificante de Cristo».
De fato, constatou, «a cultura secularizada penetrou na mente e no coração de não poucos consagrados, que vêem nela uma forma de acesso à modernidade e de aproximação do mundo contemporâneo».
A conseqüência, indicou, «é que junto com um indubitável impulso generoso, capaz de testemunho e de entrega total, a vida consagrada experimenta hoje a insídia da mediocridade, do aburguesamento e da mentalidade consumista».
«O Senhor quer homens e mulheres livres, que não estejam condicionados, capazes de abandonar tudo para encontrar só nEle seu tudo», indicou o Santo Padre.
«São necessárias opções valentes, a nível pessoal e comunitário, que imprimam uma nova disciplina à vida das pessoas consagradas e as levem a redescobrir a dimensão integral do seguimento de Cristo», assegurou.
O pontífice declarou que «pertencer ao Senhor» «é a missão dos homens e mulheres que optaram por seguir Cristo casto, pobre e obediente, para que o mundo creia e se salve».
Para isso, aconselhou-lhes, entre outras coisas, alimentar-se diariamente com a oração – «íntimo colóquio da alma consagrada com o Esposo divino» e com a «cotidiana participação no mistério inefável da divina Eucaristia, na qual se faz presente constantemente Cristo ressuscitado na realidade de sua carne».
Pelo que se refere ao voto de castidade que fazem os religiosos, o Papa explicou que «não se pode enquadrar na lógica deste mundo». De fato, constatou citando Jesus no Evangelho de Mateus (19, 11-12), «é o paradoxo cristão mais “irracional” e não todos podem compreendê-lo e vivê-lo».






Fonte: ZENIT

domingo, 14 de agosto de 2011

Ano Kolbiano

2011 Declarado o "Ano de São Maximiliano Maria Kolbe"
O Senado da Polônia declarou o ano de 2011 como o "Ano de São Maximiliano Kolbe"; Esta decisão foi tomada por unanimidade na sessão celebrada em 21 de outubro passado. Tomou-se esta decisão porque em 14 de agosto de 2011 se celebrará o 70º aniversário do martírio de São Maximiliano Kolbe (1894-1941), uma figura excepcional entre os grandes do século XX da Polônia como símbolo das vítimas do nazismo e porque é o "santo patrono dos tempos difíceis", como lhe chamava o Papa João Paulo II.
"
O Senado da República da Polônia pretende celebrar a vida e as atitudes morais de um polaco e um sacerdote proeminentes, defensor da dignidade humana, do valor da virtude, da autoridade moral,... a solidariedade com outras pessoas que sofrem, ao dar sua vida, seu pensamento social...", disse a resolução.
Esta decisão do Senado coincide com as que os Franciscanos Conventuais da Polônia já declararam em agosto um "Ano Kolbiano", para comemorar a mesma data, tomando como lema as palavras do Servo de Deus, Cardenal Stefan Wyszynski: "Não apagueis o Espírito de Frei Maximiliano".
Frei Miroslav Bartos, ministro provincial dos Franciscanos Conventuais de Varsóvia, enfatizou que em todo o 70º aniversário da morte de São Maximiliano, querem reativar a herança legada por São Maximiliano à Ordem, à Igreja e ao mundo. Querem ajudar a viver o amor aos demais como lho viveu o "Mártir da Caridade".

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Rio de Janeiro será a sede da próxima Jornada Mundial da Juventude!

Vaticano, 12 Ago. 11 / 07:26 pm (ACI/Europa Press)

Esta sexta-feira o porta-voz da Santa Sé, o Pe. Federico Lombardi, confirmou que o Rio de Janeiro será a sede da 28ª Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no ano 2013, e precisou que esta será celebrada em sede internacional um ano antes para não coincidir com o Mundial de Futebol, que terá lugar em 2014 no Brasil.

Embora seja tradição que o Santo Padre anuncie a sede da seguinte JMJ ao concluir a Eucaristia de encerramento da jornada, nesta ocasião foi confirmada previamente a sede do seguinte encontro internacional.

Na quinta-feira 11 de agosto, fontes diplomáticas confirmaram à Europa Press que o governador de Estado do Rio de Janeiro (Brasil), Sergio Cabral, e o prefeito da cidade, Eduardo Paes, viajarão a Madri na próxima semana para comparecer aos atos que estarão sendo celebrados por ocasião da Jornada Mundial da Juventude (JM), que se realiza entre os dias 16 e 21 de agosto.

Assim, está previsto que tanto o governador como o prefeito do Rio de Janeiro estejam presentes nos eventos centrais celebrados com o Papa Bento XVI.

O Pontífice chegará na próxima quinta-feira 18 a Madri onde lhe aguarda uma cerimônia de boas-vindas na Praça de Cibeles, a Via Sacra no Passeio dos Recoletos, e a Vigília e a Missa 'de envio' no aeródromo de Quatro Ventos.

Também participarão de alguns dos eventos da JMJ com Bento XVI o chefe da Secretaria Geral da Presidência da República do Brasil, Gilberto Carvalho, e a secretária nacional de Juventude da Presidência da República, Severo Carmen Maceado, conforme informaram à Europa Press as próprias fontes.

No momento, há ao redor de 14 mil jovens brasileiros inscritos na Jornada, um cifra superada só pela Espanha, a Itália, a França, os EUA e a Alemanha.

Segunda cidade latino-americana a sediar a JMJ

Deste modo, depois de Buenos Aires (1987), a cidade brasileira será segunda da América do Sul em celebrar o encontro internacional. Com a de Madrid já foram celebradas 26 JMJs, todas elas presididas pelo Papa e onze delas fora do Vaticano.

Estas são: Buenos Aires (Argentina), Santiago de Compostela (Espanha), Czestochowa (Polônia), Denver (Estados Unidos), Manila (Filipinas), Paris (França), Roma (Itália), Toronto (Canadá), Colônia (Alemanha) e Sydney (Austrália). Perto de 20 milhões de jovens foram a estes encontros internacionais.

As Jornadas Mundiais da Juventude nasceram em 1984 por iniciativa do Papa João Paulo II. A primeira teve lugar em Roma no domingo de Ramos do mencionado ano, no contexto das celebrações setoriais do Ano Santo Jubilar da Redenção (1983-1984).

Diante do êxito da convocatória e das urgências eclesiásticas da Pastoral de Juventude, João Paulo II as instituiu com caráter permanente. Cada encontro internacional tem como lema uma frase Bíblica e todos contam, além disso, com um hino. Ambos convidam os jovens a refletirem sobre o Evangelho.

Anualmente as Jornadas são celebradas em cada diocese; entretanto, a cada dois ou três anos se organiza um evento internacional em uma cidade do mundo. A celebração se prolonga durante uma semana e inclui encontros religiosos, culturais e festivos, e conclui com uma Vigília e a Eucaristia presidida pelo Sumo Pontífice.

O primeiro dos encontros internacionais ocorreu em 1987 em Buenos Aires, onde um milhão de pessoas foram convocadas pelo Papa João Paulo II para "construir uma sociedade melhor".

Dois anos mais tarde, depois da capital Argentina, realizou-se em Santiago da Compostela, onde milhares de jovens peregrinos se reuniram com o Papa no Monte do Gozo.

A seguinte parada teve lugar em 1991 na cidade polonesa de Czestochowa, que representou a primeira reunião de João Paulo II com milhares de jovens em um país da Europa do Leste. À JMJ de Denver em 1993 compareceram meio milhão de jovens, convocados às Montanhas Rochosas, e foi a edição em que João Paulo II instaurou a Via Sacra.

A JMJ de 1995 se celebrou em Manila, a mais multitudinária da história com cinco milhões de assistentes. Dois anos mais tarde, em 1997, Paris foi a capital escolhida para festejar a XII Jornada Mundial da Juventude. Em 2000, coincidindo com o Jubileu, três milhões de jovens de todo o mundo atenderam o chamado do Papa e foram a Roma.

Toronto 2002 foi a última JMJ internacional à qual compareceu João Paulo II, já que faleceu meses antes da celebração da JMJ em Colônia, 2005. A esta foi o atual Pontífice, Bento XVI, para reunir-se com mais de dois milhões de jovens.

A cidade australiana de Sydney, em 2008, foi o último encontro internacional anterior ao de Madri.



Fonte:http://www.acidigital.com/noticia.php?id=22357

Os Mais Vistos