Ordem dos Frades Menores Conventuais - Custódia Provincial Imaculada Conceição - Franciscanos Conventuais do Rio de Janeiro - PAZ & BEM!!!

terça-feira, 17 de maio de 2011

Seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo em São Francisco de Assis




Antes de falarmos, a respeito do seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, rezemos a oração do Santo de Assis diante do Crucifixo de São Damião:
“Altíssimo, glorioso Deus, ilumina as trevas do meu coração: dá-me uma fé direita, uma esperança certa, uma caridade perfeita, senso e conhecimento, ó Senhor, para que eu faça o teu santo e veraz mandato. Amém.”
Esta bela oração de São Francisco de Assis expressa bem o desejo de seu coração que não pedi nada para si, mas sim aquilo que Deus é: amor, esperança, luz e caridade. No desejo de continuar como um filho de Deus encantado por seguir Jesus Cristo, em obediência, sem nada de próprio e em castidade.
Para São Francisco a sua maior alegria é o seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo de forma concreta em um imenso desejo de ser no cotidiano outro Cristo.
São Boaventura, discípulo de São Francisco de Assis, expressa muito bem o sentido que move uma alma a ir além de si mesmo: “A felicidade não é senão gozo do Sumo bem. O Sumo Bem está acima de nós. Ninguém, por conseguinte, pode ser feliz senão elevando-se acima de si mesmo, já não com o corpo, mas com o coração.” Todos nós queremos ser felizes. Porém, muitas vezes nos enganamos a respeito do que seja a verdadeira felicidade. E por isso, facilmente nos desviamos do caminho. E foi percebendo esta fragilidade da pessoa humana, que São Francisco pede com fé e devoção ao Senhor a sabedoria para ter um coração imenso, generoso, uma fé direita e uma caridade perfeita. Mas, tudo isto por que descobriu que a verdadeira felicidade está no seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, do qual descobre quão imenso é o amor de Deus para com o homem e para com as criaturas. Amor gerador de vida e de fraternidade por meio do qual a pessoa humana sente-se impulsionada ao amor de si e do outro. Esta forma nobre de viver a vida, São Francisco só encontrou em Cristo Jesus que em nenhum momento hesitou em dar a vida por seus amigos.
Deste modo, a beleza do seguimento de Cristo se dá na adesão completa e inteira ao seu projeto de vida na realização da vontade do Pai, no qual é exigido do discípulo a renúncia de tudo que possui e principalmente, de si mesmo, para ter toda sua vida doada a Ele no seu seguimento. Jesus Cristo passa a ser o ponto de partida e de chegada de todo àquele que o deseja seguir num apaixonamento único onde o corpo e a alma clamam profundamente pela união entre criador e criatura numa mesma vontade. Pois, o discípulo é aquele que descobriu que “A felicidade não é senão gozo do Sumo bem. O Sumo Bem está acima de nós. Ninguém, por conseguinte, pode ser feliz senão elevando-se acima de si mesmo, já não com o corpo, mas com o coração.”
Para além da beleza do seguimento que nos faz mais humanos, o elevar-se a Deus com o coração indica que a pessoa humana não é somente corpo, mas também espírito. Isto nos mostra que a dimensão humana não se restringe aos desejos corporais. Toda pessoa humana é chamada a uma dignidade muito maior, no qual torna-se filho de Deus. Tal realidade foi tão descoberta e tão perseguida por São Francisco de Assis que ao ouvir o crucifixo de São Damião lhe falar, nunca mais deixou um só instante de pensar e de andar chorando em alta voz a Paixão de seu Senhor. Jesus Cristo é para São Francisco a fonte de toda nobreza que qualquer homem pode almejar.
Neste contexto, o coração do discípulo busca a cada instante ter os mesmos sentimentos de Cristo e em tudo ser igual a Ele. Em Cristo, o discípulo encontra sua identidade em plenitude, no qual identificar-se com uma pessoa é ser um com ela de tal forma que o seguimento passa a ser nada mais do que um reflexo do Deus de Nosso Senhor Jesus Cristo. Esta identificação com a pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo traz a pessoa humana sua verdadeira liberdade, por meio do qual seu coração se alegra por ter encontrado um grande tesouro onde o Pai se revela em Jesus Cristo. Por este tesouro o coração do discípulo é capaz de deixar tudo aquilo que não é Jesus para dedicar-se inteiramente no seguimento Daquele que Cristo veio revelar: a face amorosa do Pai. A face do Pai que se revela em Jesus Cristo é de tamanha beleza e doçura que o discípulo se assemelha a um homem que encontrou um tesouro como nos relata o Evangelho de São Mateus: “O Reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo.” (MT 13,44)
Todo trabalho que São Francisco teve que fazer em si para ser fiel seguidor de Cristo consiste neste olhar vivo para Deus. Olhar de quem encontrou um grande tesouro. Em Deus o Santo de Assis descobriu sua verdadeira felicidade, no qual foi capaz de deixar tudo para segui-lo.
Seguir Jesus Cristo é a profissão de todo consagrado franciscano que a exemplo de São Francisco de Assis deseja ser um com Ele na união de um amor de entrega e gratidão, por meio da profissão dos conselhos evangélicos de pobreza, castidade e obediência.
Portanto, o seguimento franciscano de Nosso Senhor Jesus Cristo se realiza na alegria do encontro da pessoa humana com a pessoa Cristo. De onde surge todo elã da identidade do ser humano com Aquele que é o protótipo do homem e sua razão de viver. Assim, nossa gratidão a Deus por seu amor que se revela em Cristo é imensa. Pois, em Jesus podemos conhecer a face amorosa do Pai que se revela a cada instante e que continua a encantar muitos corações desejosos da verdade como foi o de São Francisco de Assis. E que possamos dizer a cada dia com São Francisco de Assis: “É isso que eu quero, isso que procuro, é isso que desejo fazer de todo coração”.

Nenhum comentário:

Os Mais Vistos