Ordem dos Frades Menores Conventuais - Custódia Provincial Imaculada Conceição dos Franciscanos Conventuais do Rio de Janeiro - PAZ & BEM!!!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Missão é tornar-se discípulo

Por: Marlete Lacerda*

Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos” (Mt 28,19). O grande objetivo da missão da Igreja é este: fazer com que todos se tornem discípulos de Cristo, isto é, seguidores de Cristo.
Ao falarmos em missão, a primeira coisa que nos ocorre é: partir, andar, viajar... E certamente muitas vezes, para se propagar a mensagem de Cristo, é necessário sair, ir ao encontro das pessoas onde elas se encontram. Este, porém, não é o fim último da missão que, como já vimos, acima de tudo consiste em fazer discípulos.
Ser missionário, portanto, não significa necessariamente partir para outros lugares. Podemos também realizar o mandato de Cristo sem nem mesmo ultrapassar os limites da nossa cidade, do nosso bairro ou da nossa rua.

Dom Helder Câmara, um dos maiores profetas do século XX

A este propósito, gostaríamos de citar algumas palavras de um dos MAIORES PROFETAS DO SÉCULO XX, Dom Helder Câmara, que ilustram muitíssimo bem o que estamos dizendo. Escreveu Dom Helder: “...Missão é sempre partir, mas não devorar quilômetros. É, sobretudo, abrir-se aos outros como irmãos, descobri-los e encontrá-los. E se para encontrá-los e amá-los é preciso atravessar os mares e voar lá nos céus, então missão é partir até os confins do mundo”.
Queremos evidenciar estas palavras: “missão é abrir-se aos outros como irmãos”. Pois a atitude com a qual nos aproximamos dos outros para anunciar a mensagem de Cristo deve ser exatamente esta: de abertura, de acolhimento. Muitas vezes nossas palavras ou nossos gestos podem afastar as pessoas ao invés de aproximá-las de Deus. Por isso, antes de tudo é necessário acolher o outro como irmãos, não se esquecendo de que a nossa ação evangelizadora só surtirá efeito se o nosso modo de viver tiver algo a dizer ao outro, se a nossa vida for realmente coerente com aquilo que pregamos. Neste processo, pregar o Evangelho muitas vezes não significa falar, mas agir. O cristão não deve, portanto, esquecer-se daquele famoso provérbio que diz que as “palavras movem, mas os exemplos arrastam”, isto é, os bons exemplos persuadem muito mais eficazmente que as palavras.
            Concluindo, podemos dizer que o “ir” neste caso implica um partir, mas não de um lugar físico. Este partir significa deixar tudo: casa, família, terras... (cf. Mt 19,29) para seguir a Cristo. Deixar pai, mãe, irmãos, não significa romper com a própria família, mas abrir-se para acolher uma família ainda maior, a grande família dos filhos de Deus. O partir é um sair de si para encontrar o outro.
              

 *Missionária da Imaculada-Padre Kolbe in “O Mílite” Nº 244 maio de 2011 página 15 confira mais em www.miliciadaimaculada.org.br

Nenhum comentário:

Os Mais Vistos