Ordem dos Frades Menores Conventuais - Custódia Provincial Imaculada Conceição dos Franciscanos Conventuais do Rio de Janeiro - PAZ & BEM!!!

sábado, 23 de abril de 2011

SÁBADO SANTO


Hoje é o segundo dia do Tríduo Pascal. O Senhor Jesus que se entregou até a morte na Ceia de modo ritual e entregou-se na cruz de modo histórico-existencial, agora encontra-se na morte, no reino do nada, do não-ser, da impotência: “desceu à mansão dos mortos” – professa a Igreja todos os domingos.

Este é o ponto mais baixo do Tríduo! O Sábado Santo, também chamado de Grande Sábado, é dia de profundo silêncio. O Senhor Jesus desceu ao mais baixo, à região dos sem-vida, dos sem-Deus, da humanidade na sua última miséria: Jesus experimentou realmente o derrota terrível da morte, morte ligada ao pecado – Ele, que não tem pecado – morte como distanciamento do Deus da Vida.

Hoje é dia manter-se em silêncio, em oração. Devemos pensar no sentido de nossa vida, na nossa morte, unida à morte de Cristo como caminho para a Ressurreição. Hoje também devemos dirigir nosso afeto à Virgem Maria, que, em tremenda solidão, esperou firmemente a vitória do Cristo. Com Maria Virgem, no dia de hoje, a Igreja espera!

b. Anotações litúrgicas

1. Neste Sábado Santo não se pode celebrar nenhum sacramento, a não ser a Reconciliação.

2. Ninguém pode comungar. Não se pode levar a comunhão nem aos enfermos. Somente em real perigo de morte iminente é que se pode levar a comunhão, mas no modo de viático – só o sacerdote pode fazê-lo!

3. Neste Dia não há nenhuma celebração. A igreja permanece sem flores, com o altar desnudo, com a pia de água benta vazia, com a cruz da adoração da Sexta-feira Santa visível no presbitério. Quem passar diante dessa cruz, faz genuflexão. Isso vale até o fim da tarde – após as Vésperas.

4. No caso de exéquias, não se pode celebrar a Missa de corpo presente, mas somente fazer a encomendação.

5. Os cristãos cuidem de não se ocuparem com nada que os dissipem ou distraiam da união com o Senhor morto e sepultado.

6. Não se pode adorar o Santíssimo. As hóstias que sobraram da Sexta-feira Santa devem estar guardadas num lugar isolado: não no Sacrário, não no Altar da Reposição. Devem ser consumidas somente depois da Oitava da Páscoa.

7. A partir da tarde, deve-se começar a ornamentar a igreja para a Vigília Pascal...

fonte:

Hoje é o segundo dia do Tríduo Pascal. O Senhor Jesus que se entregou até a morte na Ceia de modo ritual e entregou-se na cruz de modo histórico-existencial, agora encontra-se na morte, no reino do nada, do não-ser, da impotência: “desceu à mansão dos mortos” – professa a Igreja todos os domingos.

Este é o ponto mais baixo do Tríduo! O Sábado Santo, também chamado de Grande Sábado, é dia de profundo silêncio. O Senhor Jesus desceu ao mais baixo, à região dos sem-vida, dos sem-Deus, da humanidade na sua última miséria: Jesus experimentou realmente o derrota terrível da morte, morte ligada ao pecado – Ele, que não tem pecado – morte como distanciamento do Deus da Vida.

Hoje é dia manter-se em silêncio, em oração. Devemos pensar no sentido de nossa vida, na nossa morte, unida à morte de Cristo como caminho para a Ressurreição. Hoje também devemos dirigir nosso afeto à Virgem Maria, que, em tremenda solidão, esperou firmemente a vitória do Cristo. Com Maria Virgem, no dia de hoje, a Igreja espera!

b. Anotações litúrgicas

1. Neste Sábado Santo não se pode celebrar nenhum sacramento, a não ser a Reconciliação.

2. Ninguém pode comungar. Não se pode levar a comunhão nem aos enfermos. Somente em real perigo de morte iminente é que se pode levar a comunhão, mas no modo de viático – só o sacerdote pode fazê-lo!

3. Neste Dia não há nenhuma celebração. A igreja permanece sem flores, com o altar desnudo, com a pia de água benta vazia, com a cruz da adoração da Sexta-feira Santa visível no presbitério. Quem passar diante dessa cruz, faz genuflexão. Isso vale até o fim da tarde – após as Vésperas.

4. No caso de exéquias, não se pode celebrar a Missa de corpo presente, mas somente fazer a encomendação.

5. Os cristãos cuidem de não se ocuparem com nada que os dissipem ou distraiam da união com o Senhor morto e sepultado.

6. Não se pode adorar o Santíssimo. As hóstias que sobraram da Sexta-feira Santa devem estar guardadas num lugar isolado: não no Sacrário, não no Altar da Reposição. Devem ser consumidas somente depois da Oitava da Páscoa.

7. A partir da tarde, deve-se começar a ornamentar a igreja para a Vigília Pascal...

FONTE:http://www.domhenrique.com.br/index.php/liturgia/geral/186-o-sabado-santo

Nenhum comentário:

Os Mais Vistos