Ordem dos Frades Menores Conventuais - Custódia Provincial Imaculada Conceição dos Franciscanos Conventuais do Rio de Janeiro - PAZ & BEM!!!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Lectio Divina Domingo de Ramos

LECTIO DIVINA - Domingo 17 de abril de 2011

Domingo de Ramos – Ano A

Iniciamos a Semana Santa com o texto sobre os acontecimentos da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus, retirado de Mateus, 26,14- 56. Após o período quaresmal, devemos estar preparados para, com alegria, receber o Cristo Ressuscitado que permanece entre nós.

TEXTO BÍBLICO: Mateus 26,14 - 27-56

(Resumimos o texto, pelo pouco espaço. Quem puder leia todo o texto!)

No primeiro dia dos Ázimos, Jesus mandou os discípulos prepararem a páscoa. Ao declinar da tarde, pôs-se Jesus à mesa com os doze discípulos. Jesus triste fala sobre quem o trairia. Durante a refeição, Jesus benzeu o pão dizendo: Tomai e comei, isto é meu corpo. Tomou depois o cálice, e disse: Bebei dele todos, porque isto é meu sangue, o sangue da Nova Aliança. Jesus prediz a negação de Pedro. Foram para o monte das Oliveiras. Muito triste Jesus orava ao Pai. Falou aos apóstolos que não conseguiam estar com ele para consolá-lo. Chegaram os soldados com Judas e prenderam Jesus. Então os discípulos o abandonaram e fugiram. Diante do sumo sacerdote, reunido com os escribas e anciãos, tentaram falsas acusações. Jesus não respondia. O sumo sacerdote diz: pelo Deus vivo, tu és o Cristo, o Filho de Deus? Jesus responde: Eu sou. Disseram: Blasfemou, merece a morte. Maltrataram Jesus. Pedro no pátio interno negou três vezes que conhecesse Jesus! O galo cantou e Pedro lembrou-se que Jesus havia dito que ele o negaria. E saindo, chorou muito. De madrugada todos os chefes judeus se reuniram e foram levar Jesus a Pôncio Pilatos, governador romano. O governador fez muitas perguntas a Jesus. Nenhum crime encontrava nele. Resolveu usar um costume: apresentou Jesus e Barrabás, um criminoso, para que escolhessem quem eles queriam que soltasse pela páscoa. Escolheram Barrabás. E pediram para crucificar Jesus. Pilatos lavou as mãos. Mandou açoitar Jesus. Foi o que fizeram. Colocaram ainda uma coroa de espinhos em sua cabeça. Zombavam dele. Jesus foi levado carregando uma cruz para ser crucificado. Jesus ficou na cruz três horas, sendo zombado pelos soldados e pela multidão. No fim, Jesus deu um grande brado e morreu. Houve um estremecimento da terra. O oficial romano gritou: Este homem era mesmo o Filho de Deus... Jesus foi sepultado num sepulcro novo de José de Arimateia. Foram colocados soldados que guardassem a entrada do túmulo a pedido dos chefes judeus a Pilatos.

Reflexões para apreender melhor o texto

Jesus envia os discípulos a Jerusalém para prepararem a ceia da páscoa que será sua última ceia, na qual partilhará seu corpo e sangue, para a salvação a toda a humanidade. À mesa com seus discípulos, Jesus fala sobre a traição de Judas. Na última ceia, ao entregar o pão e o vinho a seus discípulos, Jesus dá o significado especial: suas palavras resumem sua vida e missão, e interpretam o sentido da sua morte: o sangue que derrama na cruz sela a nova aliança anunciada pelos profetas, fonte de salvação para quem a aceita. Jesus profetiza a negação de Pedro e o abandono dos discípulos. No Jardim das Oliveiras (Getsêmani), Jesus ora com muita tristeza. Leva três discípulos com ele e os convida a orar para que suportem o que estava para ocorrer, mas eles dormem. Jesus está triste e só. Eles não oram com Ele. Jesus deposita sua angústia nas mãos do seu Pai. Quer realizar o mandato e a missão como a vontade de seu Pai. Jesus está preparado para enfrentar o que irá sofrer. Judas se aproxima de Jesus o beija e o entrega. Um de seus discípulos trata de defender a Jesus cortando a orelha de um dos que vinham prendê-lo. E todos o abandonam, deixando-o só. Os chefes religiosos não queriam só julgar Jesus, mas condená-lo à morte. Diante do que aconteceu na crucificação até um oficial romano se comoveu.

1 – LEITURA: O que diz o texto? Perguntas para a leitura

* Por que esta páscoa de Jesus foi importante para Cristo e para nós?

* Qual a tristeza de Jesus na ceia e no Jardim das Oliveiras? Por quê?

* O que mais fez Jesus sofrer e o que mais o consolou?

* Que você achou do julgamento dos chefes religiosos e de Pilatos?

* Onde Jesus mostrou misericórdia, compreensão e perdão?

* Por que a reação do oficial romano? Que será que teria sentido?

Outros textos bíblicos para confrontar: Ex 12-14; Mc 14,22-25; Zc 11,12

2 – MEDITAÇÃO: O que me diz o texto? O que nos diz o texto?

* Como por meus atos, posso negar que sou um discípulo de Jesus?

* Como mostro que reconheço a Jesus como o Cristo, meu Senhor?

* Em que ocasiões fiquei dormindo quando o Senhor me pediu algo?

* Quando partilhamos o pão e o vinho na Eucaristia, como viver a nova aliança, em união com o sacerdote que representa a Cristo?

3 – O R A Ç Ã O: O que digo a Deus? O que dizemos a Deus?

Chegou o momento de falar com o Senhor, a proposta para este momento é especial. Coloque música de fundo e sozinho comece a imaginar: estamos no Jardim das Oliveiras, e Jesus convidou você a orar com Ele. O Senhor está com você e o escuta. Dirija-se a Ele e diga tudo o que brota do seu coração.

Graças Senhor por entregar tua vida por mim,

Graças, apesar da minha traição, morres e derramas teu sangue, para que eu tenha vida.

Dá-me forças para não falhar contigo, ajuda-me a parecer-me cada dia mais contigo.

4 – CONTEMPLAÇÃO: Como interiorizo a mensagem? Como interiorizamos a mensagem?

Podemos repetir várias vezes desde nosso coração: “Jesus, graças por ser meu mestre, Jesus, quero que sejas meu Senhor. Jesus, te reconheço como único Senhor!

5 – A Ç Ã O: Com o que me comprometo? Com o que nos comprometemos?

Proposta pessoal: Procure uma pessoa a que alguma vez tenha traído ou tenha decepcionado, reconhece teu erro e peça-lhe desculpas, reconcilie-se com ela.

Propostas comunitárias: Com seu grupo vá a um lugar tranquilo, onde possam manter momento de oração. Faça um cartaz, onde todos possam escrever os principais motivos pelos quais temos negado Jesus alguma vez e podem colocar no local de reunião, durante toda a Semana Santa, para lembrar o que falta mudar, para viver melhor esta Páscoa.

Nenhum comentário:

Os Mais Vistos