Ordem dos Frades Menores Conventuais - Custódia Provincial Imaculada Conceição - Franciscanos Conventuais do Rio de Janeiro - PAZ & BEM!!!

quarta-feira, 9 de março de 2011

Via Sacra

A Quaresma é um momento privilegiado para intensivarmos a piedade cristã e meditarmos a Paixão Redentora de Nosso Senhor Jesus Cristo! Para ajudar nesta meditação publicamos do "Devocionário Franciscano", uma das práticas mais franciscana utilizada neste Tempo Litúrgico: A Via Sacra ou Via Crusis. Esta, em especial, segue com textos meditativos das Cartas de Santa Clara, que assim como o Seráfico Pai São Francisco, meditava a Paixão do Senhor!
Via Sacra com Clara




D. 1ª Estação: Jesus é condenado à morte

L1. Pilatos trouxe Jesus para fora e disse aos Judeus: “Eis o vosso Rei!” Mas eles gritaram: “Fora com ele; crucifica-o!” Então Pilatos o entregou a eles para que fosse crucificado.

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. Observa, medita, contempla Aquele que, por tua salvação, se fez o mais desprezado dos homens. Não desejes outra coisa, senão imitar o teu Esposo, o mais formoso dos filhos dos homens, que foi rejeitado, ferido e muitas vezes flagelado no seu corpo e que morreu na cruz entre muitas angústias. (2In)

D. Tende piedade de nós, Senhor.

T. Tende piedade de nós.

D. Doce coração de Maria.

T. Sede nossa salvação.



D. 2ª Estação: Jesus carrega a cruz para o Calvário.

L1. E Jesus levando consigo a cruz saiu para o lugar chamado Calvário, em hebraico Gólgota. Se alguém quiser me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. Estreito é o caminho como também é a porta pela qual se passa e entra na vida. Poucos são os que o percorrem e entram por esta porta. Poucos os que continuam até o fim. Felizes, pois, aqueles a quem foi dado seguir por este caminho e perseverar até o fim.(Test 21).

D. Tende piedade de nós, Senhor;

T. Tende piedade de nós.

D. Doce Coração de Maria,

T. Sede nossa salvação.



D. 3ª Estação: Jesus cai pela primeira vez

L1. Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo caindo na terra, não morre fica só; mas se morrer produz muito fruto. Quem ama sua vida, acabará perdendo-a; mas quem odeia sua vida neste mundo, vai guardá-la para a vida eterna.

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. Suporta corajosa e voluntariamente toda adversidade. É próprio da fé, com efeito, tornar-nos humildes quando nos momentos de contrariedade. Levanta muitas vezes os olhos ao céu, que nos convida a tomar a cruz e seguir a Cristo que nos precede. Depois de muitas e várias tribulações, Ele mesmo nos introduzirá na sua glória (Er).

D. Tende piedade de nós, Senhor;

T. Tende piedade de nós.

D. Doce coração de Maria.

T. Sede nossa salvação.



D. 4ª Estação: Jesus encontra sua Mãe Santíssima

L1. Disse Simeão a Maria, sua mãe: “[...] quanto a ti, uma espada transpassará a tua alma” (Lc 2,35). Não deveis estranhar o fogo da provação que se produz entre vós, como se algo de extraordinário vos acontecesse. Alegrai-vos na medida em que participais dos sofrimentos de Cristo, para que na revelação de sua glória possais ter alegria transbordante.

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. Tu és esposa, mãe e irmã do meu Senhor Jesus Cristo. Fica firme no santo serviço ao qual te dedicaste, levada por um ardente desejo de imitar Aquele que se tornou pobre e se deixou crucificar. Foi Ele que por nós suportou os tormentos da cruz, para nos libertar do poder do príncipe das trevas e nos reconciliar com Deus, nosso Pai.

D. Tende piedade de nós, Senhor;

T. Tende piedade de nós.

D. Doce coração de Maria.

T. Sede nossa salvação.



D. 5ª Estação: Cirineu ajuda Jesus

L1. O discípulo não está acima do Mestre, nem o servo acima do Senhor. Ao discípulo basta ser como o Mestre e ao servo como o seu Senhor. Se ao chefe da família chamaram de Belzebu, quanto mais os seus familiares (MT 10,24-25)

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. Participando da sua paixão, participarás também do seu Reino. Chorando com Ele, com Ele te alegrarás. Sofrendo e morrendo com Ele na cruz, possuirás uma morada celeste no meio do esplendor dos santos, o teu nome estará inscrito no livro da vida e possuirás por toda a eternidade a glória do Reino

D. Tende piedade de nós, Senhor;

T. Tende piedade de nós.

D. Doce coração de Maria.

T. Sede nossa salvação.



D. 6ª Estação: Verônica enxuga a face de Jesus

L1. Ele vegetava na sua presença como um rebento, como raiz em terra seca. Sem beleza alguma ou esplendor que atraísse nossos olhares. Era desprezado, era o refugo da humanidade. Homem das dores, experimentado nos sofrimentos. Era como uma pessoa de quem se desvia o rosto (Is 53,2-3).

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. Põe tua mente naquele que é o espelho da eternidade [...] e o teu coração naquele que é a figura da divina substância. E transforma-te inteiramente pela contemplação na imagem da sua divindade. Ama com todas as tuas forças Aquele que totalmente se deu por teu amor (2In).

D. Tende piedade de nós, Senhor;

T. Tende piedade de nós.

D. Doce coração de Maria.

T. Sede nossa salvação.



D. 7ª Estação: Jesus cai pela segunda vez

L1. Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados. Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra. Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque o Reino dos Céus lhes pertence. Bem-aventurados quando vos insultarem e, mentindo disserem toda sorte de mal contra vós, por minha causa. Alegrai-vos e exultai porque será grande a vossa recompensa nos céus (Mt5, 4-5).

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. As irmãs aspirem sempre ser humildes e pacientes nas perseguições e nas enfermidades; e amar aqueles que nos perseguem, repreendem, criticam, porquanto diz o Senhor; “Felizes os que padecem perseguições por amor da justiça, porque deles é o Reino dos Céus” (MT 5,10)

D. Tende piedade de nós, Senhor;

T. Tende piedade de nós.

D. Doce coração de Maria.

T. Sede nossa salvação.



D. 8ª Estação: Jesus encontra as mulheres de Jerusalém


L1. Estejam cingidos os vossos rins e as vossas lâmpadas acesas. Sede semelhantes a homens que esperam o Senhor [...] para que, quando chegar e bater, logo lhe abram a porta. Bem-aventurado o sevo que o Senhor encontrar vigiando quando chegar (Lc 12,35)

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. Afeiçoa-te àquela Mãe dulcíssima que trouxe no seu seio virginal tal Filho que os céus e a terra não podem conter [...]. Como a gloriosa Virgem das Virgens truxe o Cristo materialmente no seu corpo, assim tu, seguindo os seus passos, especialmente corpo casto e virginal (3In).

D. Tende piedade de nós, Senhor;

T. Tende piedade de nós.

D. Doce coração de Maria.

T. Sede nossa salvação.



D. 9ª Estação: Jesus cai pela terceira vez

L1. Todos nós andávamos desgarrados, como ovelhas, seguindo cada qual o seu caminho; o Senhor fez recair sobre Ele a iniqüidade de todos nós. Pela iniqüidade do povo foi levado à morte, embora não houvesse cometido pecado algum. Mas oferecendo-se em sacrifício expiatório, verá uma longa descendência e se cumprirá, por mérito seu, a vontade do Senhor.

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. Vejo que são a tua humildade, o vigor da tua fé e a pobreza que te fazem abraçar o tesouro incomparável, escondido no campo do mundo, isto é, nos corações humanos. Assim alcanças Aquele que do nada criou todas as coisas. Considero-te para usar as palavras do Apóstolo, cooperadora do próprio Deus e sustentadora dos membros débeis e vacilantes do seu inefável corpo (3In).

D. Tende piedade de nós, Senhor;

T. Tende piedade de nós.

D. Doce coração de Maria.

T. Sede nossa salvação.



D. 10ª Estação: Jesus é despojado das vestes

L1. Aparecendo em forma humana, Cristo Jesus humilhou-se a si mesmo, fazendo-se obediente até à morte e morte de cruz (Fl 2,8).

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. Entrega-te totalmente como virgem pobre a Cristo pobre. Olha para Ele, que, por teu amor, se fez desprezível, e segue o seu exemplo, tornando-te semelhante a Ele neste mundo (2In). Pobre em seu nascimento, o Senhor foi colocado numa manjedoura, pobre viveu sobre a terra e despido foi pregado à cruz (TestC).

D. Tende piedade de nós, Senhor;

T. Tende piedade de nós.

D. Doce coração de Maria.

T. Sede nossa salvação.



D. 11ª Estação: Jesus é crucificado

L1. Ali o crucificaram, e com Ele outros dois, um de cada lado, e, no meio, Jesus (Jo 18,19). Os que são de Cristo Jesus, crucificaram a carne com suas paixões e concupiscências.

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. Contempla a inefável caridade pela qual Jesus quis padecer sobre o lenho da cruz e nela sofrer a morte mais infame. Do alto da cruz se dirige aos que passam no caminho para que se comovam a meditar: “Ó vós todos que passais pelo caminho, olhai e julgai se existe dor semelhante á minha dor!” [...] e respondamos a Ele, que grita e geme , a uma só voz e com um só coração: “ Não me abandonará mais esta lembrança, que desfalece em mim a minha alma”(4In).

D. Tende piedade de nós, Senhor;

T. Tende piedade de nós.

D. Doce coração de Maria.

T. Sede nossa salvação.



D. 12ª Estação: Jesus morre na cruz

L1. Para que se cumprisse a Escritura, Jesus disse: “Sitio”, ou seja, “tenho sede”. Havia ali um vaso cheio de vinagre; puseram por isso uma esponja embebida de vinagre em cima de uma cana e encostaram-lhe na boca. Havendo Jesus tomado o vinagre, disse: “Tudo está consumado”. E inclinando a cabeça expirou (cf. Jo 19,28-30).

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. Ó santa Pobreza! O senhor Jesus se dignou abraçá-la de preferência a todos os outros bens. Disse, com efeito: “as raposas tem suas tocas e as aves do céu os seus ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça!” E quando reclinou sobre o peito foi para render o último suspiro (1In).

D. Tende piedade de nós, Senhor;

T. Tende piedade de nós.

D. Doce coração de Maria.

T. Sede nossa salvação.



D. 13ª Estação: Jesus é descido da cruz

L1. Junto à cruz estava sua Mãe, a irmã de sua Mãe e Maria Madalena [...] e o discípulo que Ele amava (Jo 19,25-27). Pai eu rogo por estes, por aqueles que me destes. Ora, eu não estou mais no mundo. Ó Pai santo, conserva-os em teu nome, a fim de que sejam uma coisa só, como nós (Jo 17,9-11).

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. Ama com todas as tuas forças a Deus, que é infinitamente adorável e a seu divino Filho, que quis ser crucificado pela remissão dos nossos pecados. Que sua memória salutar nunca se apague no teu coração. Medita assiduamente os mistérios de sua Paixão e as dores que sofreu sua Santíssima Mãe ao pé da cruz (ER).

D. Tende piedade de nós, Senhor;

T. Tende piedade de nós.

D. Doce coração de Maria.

T. Sede nossa salvação.



D. 14ª Estação: Jesus é sepultado

L1. Não rogo somente por esses, mas também por aqueles que por sua palavra hão de crer em mim. Para que todos sejam um, assim como Tu, Pai, estás em mim e eu em Ti, para que também eles estejam em nós e o mundo creia que Tu me enviaste (Jo 17,20-21).

D. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo e, vos bendizemos;

T. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

L2. Contempla a indizível alegria, a riqueza e a glória eterna e grita com todo ardor do teu desejo e do teu amor: “Arrasta-me após ti, ó celeste Esposo! Correrei sem desfalecer até que Tu me introduzas na tua cela inebriante. Até que a tua mão esquerda esteja sob minha cabeça e a tua direita me abrace com ternura, e tu me fizeres feliz com o ósculo inefável de tua boca” (4In).

D. Tende piedade de nós, Senhor;

T. Tende piedade de nós.

D. Doce coração de Maria.

T. Sede nossa salvação.



Invocação e bênção de Santa Clara



D. Ó seráfica Santa Clara, primeira discípula do Poverello de Assis, que abandonaste riquezas e honras por uma vida de sacrifício e de altíssima pobreza, obtende-nos de Deus a graça de sermos sempre submissos à vontade divina e confiantes na Providência do Pai Celestial.

T. Amém.

D. O Senhor todo-poderoso vos abençoe; volte para vós os seus olhos misericordiosos e vos dê a sua paz; O Senhor derrame sobre vós as graças em abundância, e no céu, vos coloque entre os seus santos.

R. Amém.



Fonte: Devocionário Franciscano. Petrópolis: Editora Vozes, 2009.

Nenhum comentário:

Os Mais Vistos