Ordem dos Frades Menores Conventuais - Custódia Provincial Imaculada Conceição - Franciscanos Conventuais do Rio de Janeiro - PAZ & BEM!!!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Patrona da OFS

Santa Isabel da Hungria 


Uma das mulheres mais extraordinárias da Idade Média: Santa Isabel da Hungria. Nasceu em 1207 e morreu em 1231, com 24 anos vividos com grande intensidade.
Isabel aparece nas páginas da história como Princesa da Hungria, Grande Condessa da Turíngia e Penitente Franciscana. A sua memória litúrgica é no dia 17 de Novembro. Filha do Rei André II e de Gertrudes de Andechs-Merano, casou-se aos catorze anos com Luís IV, Landgrave ou Grande Conde da Turíngia. Teve três filhos: Germano, o herdeiro do trono, Sofia e Gertrudes. Ficou viúva aos 20 anos.
Foi canonizada pelo Papa Gregório IX, em 1253. É tia-avó de Santa Isabel de Portugal. Com a morte do marido, a Grande Condessa dá lugar à Irmã Penitente. Ela é a primeira figura feminina que mais genuinamente encarna o espírito penitencial de Francisco de Assis: fé profunda em Deus, vida humilde e serviço aos pobres e doentes. Está na origem da Ordem Terceira Franciscana, Secular e Regular.
Fontes Isabelinas evidênciam o paralelo entre Isabel e Francisco, nomeadamente na sua atitude perante os leprosos e outros doentes e necessitados, cuidando deles com muita alegria. A sua ação no mundo da saúde é uma das páginas mais belas da Igreja medieval. Concretizou na sua vida o ideal das obras de misericórdia. No exercício do cuidado justo aos mais vulneráveis (o seu diretor espiritual, numa Carta enviada ao Papa Gregório IX, testemunha a sua competência na arte de cuidar) descobre a sua realização pessoal, o seu caminho de santidade. O hospital que fundou em Marburgo (1229) e dedicou a S. Francisco é expressão mais acabada da sua forma de ser.
Com Santa Isabel da Hungria, a Igreja e a sociedade ficaram mais enriquecidas. Ao associar-se às celebrações do VIII Centenário Isabelino, o Papa Bento XVI, numa Carta dirigida ao Primaz da Hungria, refere-se à importância que Isabel tem na descoberta das raízes cristãs da Hungria e de toda a Europa, chama-lhe Santa «européia». 
A Conferência da Família Franciscana, na Carta por motivo do mesmo VIII Centenário, depois de apresentar os traços fundamentais da fisionomia humana e espiritual de Isabel, conclui em forma de compromisso: «Se fizermos memória do seu nascimento, da sua personalidade singular e da sua sensibilidade é para que, através do conhecimento e da admiração, também nós nos tornemos instrumentos de paz e aprendamos a derramar um pouco de bálsamo sobre as feridas dos marginalizados do nosso tempo, a tornar mais humano o nosso ambiente e enxugar as lágrimas. Vamos difundir a bondade do coração lá onde, aos olhos humanos, parece faltar a misericórdia do Pai. O seu exemplo e a sua intercessão vão iluminar os nossos caminhos para o Pai, fonte de todo amor: o Bem, Todo o Bem, o Sumo Bem; serenidade e alegria».
Celebrar é progredir, Ficamos todos mais enriquecidos: a Família Franciscana, que celebrou também os 800 anos da sua origem e considera Isabel um dos seus pilares na fundação; padroeira da Ordem Franciscana Secular (OFS); as instituições da Igreja e da sociedade que a têm como padroeira; e os que vêem em Isabel da Hungria uma referência fundamental para a sua forma de viver o carisma evangélico na fraternidade franciscana.

Santa Isabel da Hungria, rogai por nós!
*Original de: http://lenivaldocarvalho.blogspot.com

Nenhum comentário:

Os Mais Vistos